Copa do Mundo de Futebol da Rússia 2018: Professor da Etec apresenta comidas populares na Rússia

Mesa tradicional russa inclui sopas como a borscht, feita de beterraba, saladas, vegetais em conserva, o creme azedo smetana e vodca para acompanhar – Foto: Pixabay

 

Nem só de estrogonofe vive o russo. Aliás, com esse nome, o prato querido dos brasileiros nem vai ser reconhecido por lá. Se for ao país, procure por strogonoff ou strogonov nos cardápios, caso tenha a sorte de encontrar um menu escrito no nosso alfabeto. Se estiver em cirílico, o nome do prato é Биф строганоф. Também não adianta ter muita esperança de saborear uma porção crocante de batata palha, já que é provável que o acompanhamento seja purê de batatas.

 

 

 

A sede da Copa do Mundo de 2018, que começa hoje, é rica em sabores. Seu vasto território e as diversas influências estrangeiras ajudaram a montar um cenário gastronômico repleto e não tão diferente do nosso, como explica o professor de Cozinha das Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) Santa Ifigênia e Uirapuru, na Capital, Gustavo Castro. No curso, a disciplina de cozinha internacional leva os futuros cozinheiros a todos os continentes por meio de suas tradições e técnicas gastronômicas.

 

 

 

 

“Por ser um país de grande proporção, a Rússia tem uma variedade abundante de produtos, entre eles a carne de caça, como patos, faisões, galinholas e javalis. Também cultivam hortifrútis como repolho, beterraba, pepino e o trigo sarraceno, cereal que não faz parte da família do trigo comum”, explica. “Há ainda diversas raças de bovinos, ovinos e caprinos. Sem contar as variedades de peixes, tanto de água doce como salgada, como esturjões, salmões, trutas e carpas, dos quais se retiram o famoso e célebre caviar.”

 

 

 

 

O inverno rigoroso também influencia a culinária, que conta com algumas técnicas para preservar os alimentos, como a conserva, salga e defumação. “Os russos também apreciam sopas com diferentes ingredientes e o chá é uma das bebidas mais consumidas”, conta Castro. Hospitaleiros, eles presenteiam seus convidados com canapés, os zakouski. Também apreciam a vodca, destilado de cereal cuja tradução, acredite, é “aguinha”.

 

 

 

Veja algumas iguarias apreciadas na Rússia:

 

 

 

 

Estrogonofe

Prato de carne picada servida com smetana (saiba mais abaixo). Foi se modificando antes de chegar ao Brasil e se popularizar por aqui com cogumelos e creme de leite.

 

 

 

Borscht

A sopa russa de beterraba que se difundiu pelo mundo, na verdade, tem origem ucraniana. Pode levar outros vegetais, como cenoura e cebola, e também caldo de carne.

 

 

 

 

Arenque sob um casaco de pele

O peixe salgado é uma constante na mesa russa. O prato é uma montagem diferente de salada: além do peixe, leva cenoura, beterraba, batata, cebola e maionese. A refeição aparece especialmente nas festas de Ano Novo.

 

 

 

 

 

Salada olivier ou salada russa

Sabe aquela salada de maionese do almoço de domingo? Pois é inspirada na salada mais popular da Rússia. Bem tradicional, foi sendo modernizada e hoje pode levar ovos, picles, batata cozida, ervilhas e maionese.

 

 

 

 

Kholodets

Essa entrada talvez seja o prato mais estranho da lista para o nosso paladar. O kholodets é uma gelatina de carne, servida desenformada como um pudim, com pedaços de cortes bovinos ou suínos. Foi uma maneira que os russos encontraram de conservar melhor a carne.

 

 

 

 

Pelmeni

Parecido com o ravióli, mas nascido na Sibéria, a iguaria consiste em uma massinha fina recheada de carne bem temperada, cozida em água e sal e servido com manteiga, smetana ou molho.

 

 

 

 

Smetana

Vale citar esse ingrediente, pois ele é acompanhamento de diversos preparos. Trata-se de uma espécie de creme azedo, servido sobre massas, sopas, doces, panquecas…

 

 

 

 

Caviar

Iguaria rara e cara no Brasil, o caviar é barato e popular na mesa russa e acompanha as refeições. É servido sobre os blinis, pequenas panquecas russas, e outros pratos.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Assessoria de Comunicação do Centro Paula Souza