Skate – Street League: Pâmela Rosa conquista a Street League de Londres, com Rayssa Leal em terceiro

Pamela com Rayssa no colo: dobradinha brasileira no início da corrida pela vaga olímpica no skate street. Foto: Divulgação

 

 

Três brasileiras entre as oito melhores, uma dobradinha no pódio e um quarto lugar no masculino. O skate brasileiro iniciou a corrida olímpica de 2019 com muita consistência. No feminino, com 26,3 pontos, a paulista Pâmela Rosa conquistou, neste domingo (26.05), a etapa de Londres da Street League, na Inglaterra. Conhecida como “Fadinha”, a maranhense Rayssa Leal (26.0), de apenas 11 anos, também andou muito e terminou com a terceira posição em sua estreia em uma final da competição. Leticia Bufoni, um dos destaques nacionais na modalidade, terminou na quarta colocação.

 

“Estou muito feliz. Tivemos três brasileiras nas finais. Dobradinha brasileira. Só tenho a agradecer a toda a torcida brasileira e à CBSk (Confederação Brasileira de Skate), que vem dando esse suporte incrível. Estou muito feliz pela Rayssa, por ter ficado no pódio junto comigo”, afirmou Pâmela Rosa.

 

 

 

Na final masculina, Kelvin Hoefler ficou com o quarto lugar em uma disputa acirrada com o australiano Shane O´Neill. Os dois atletas terminaram empatados em pontos (34.8) e a colocação foi definida pelos critérios de desempate. Kelvin alcançou sua pontuação pela somatória das notas 9.1, 9.0, 8.7 e 8.0 contra 9.3, 9.3, 9.1 e 7.1 do skatista da Austrália.

 

 

 

O brasileiro garantiu uma das oito vagas da decisão com o segundo lugar na semi, que também aconteceu neste domingo, antes da final feminina. O título ficou com o fenômeno americano Nijah Huston, seguido pelo português Gustavo Ribeiro. Huston chegou ao vigésimo título em 36 etapas da Street League. Carlos Ribeiro (11º), Ivan Monteiro (18º), Felipe Gustavo (29º) e Tiago Lemos (30º) também representaram o Brasil na semifinal em Londres, mas não avançaram à fase decisiva.

 

 

Tóquio 2020

 

 

 

A estreia do skate olímpico será em Tóquio 2020. A previsão é de que sejam 40 atletas, 20 no masculino e 20 no feminino, com um máximo de três representantes por país em cada categoria. “A nossa esperança é grande porque a gente sabe que a galera representa bem, anda muito de skate. Acho que posso cravar que teremos representantes nas Olimpíadas. O importante é ir lá e mostrar o skate brasileiro, ‘infectar’ os Jogos com a energia bonita desse esporte tão unido e a consequência da medalha vai vir depois”, afirmou Bob Burnquist, presidente da Confederação Brasileira de Skate. Além da modalidade street, também haverá competições na modalidade Park

 

 

A chancela para Tóquio permitiu que 11 atletas top da modalidade fossem incluídos na categoria Pódio, a principal do programa Bolsa Atleta, da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. Um investimento de R$ 1,4 milhão por ano, ou R$ 124 mil mensais. Nessa lista estão Pâmela Rosa, Leticia Bufoni e Kelvin Hoefler, por exemplo.

 

 

Em outra frente, sob o guarda-chuva do Comitê Olímpico do Brasil (COB), a confederação passou a fazer parte dos repasses da Lei Agnelo-Piva, que reserva recursos das loterias federais para investimento nas modalidades olímpicas e paralímpicas. São R$ 800 mil em recursos diretos para a confederação em 2019, fora outros insumos técnicos oferecidos pelo COB, como capacitações, análises laboratoriais, acesso a fisioterapeutas, fisiologistas e outros especialistas.

 

 

Confira os resultados

 

 

Final feminina
1ª – Pamela Rosa (BRA) – 26.3 pontos
2ª – Hayley Wilson (AUS) – 26.2
3ª – Rayssa Leal (BRA) – 26.0
4ª – Leticia Bufoni (BRA) – 25.9
5ª – Aori Nishimura (JAP) – 22.4
6ª – Funa Nakayama (JAP) – 21.0
7ª – Candy Jacobs (HOL) – 19.7
8ª – Alexis Sablone (EUA) – 19.0

 

 

Final masculina

1º – Nyjah Huston (EUA) – 36.7 pontos
2º – Gustavo Ribeiro (POR) – 35.9
3º – Shane O´Neill (AUS) – 34.8
4º – Kelvin Hoefler (BRA) – 34.8
5º – Manny Santiago (PUR) – 32.8
6º – Matt Berger (CAN) – 32.3
7º – Sora Shirai (JAP) – 27.8
8º – Louie Lopez (EUA) – 22.1

 

 

Da Redação com informações provenientes de Gustavo Cunha, rededoesporte.gov.br/Confederação Brasileira de Skate