Roland Garros 2015: O suíço Stanislas Wawrinka vence o sérvio Novak Djokovic e é campeão de Roland Garros

O suíço Stanislas Wawrinka vence o sérvio Novak Djokovic e é campeão de Roland Garros
O suíço Stanislas Wawrinka vence o sérvio Novak Djokovic e é campeão de Roland Garros

 

 

 

 

Contrariando as expectativas, o suíço Stanislas Wawrinka conquistou neste domingo (7) o torneio de tênis de Roland Garros ao bater na final o sérvio Novak Djokovic por 3 sets a 1 (parciais de 4/6, 6/4, 6/3 e 6/4). O atual número 8 do mundo ergue o troféu no saibro parisiense logo na primeira final disputada no torneio, enquanto Djokovic coleciona a terceira derrota no Aberto da França.

 

 

Foram 3h12 de um combate que emocionou o público na quadra central e pode ser catalogado como um dos mais disputados e emocionantes da história recente do torneio. Favorito, o sérvio número 1 do mundo vai ter que esperar uma outra ocasião para erguer o cobiçado troféu parisiense, o único de Grand Slam que ainda falta na sua carreira.

 

 

 

 

Djokovic foi às lágrimas ao subir ao palco para receber seu prêmio e ser aplaudido por longos minutos pelas arquibancadas. Ele prometeu voltar a disputar o título no ano que vem e se rendeu à superioridade de seu adversário nas quadras:.”Você é um grande campeão, tem grande coração e mereceu o título”, disse a Stanislas Wawrinka.

 

 

 

 

Com o troféu recebido do brasileiro Gustavo Kuerten, tri-campeão do torneio, Stanislas Wawrinka parabenizou o sérvio, “um grande campeão”, antes de resumir a emoção que sentiu ao final da partida: “Ganhar um segundo Grand Slam na carreira é algo incrível”.

 

 

 

 

Wawrinka também fez questão de homenagear e dedicar parte da vitória a seu treinador, o ex-jogador Magnus Norman, que foi derrotado por Guga na final em 2000. “Tenho um pensamento especial para Magnus que infelizmente perdeu a final como jogador aqui e duas vezes como treinador. Essa (vitória) é um pouco para você também”, afirmou.

 

 

 

 

Ele disse ainda ter certeza que Djokovic ainda erguerá um troféu em Roland Garros “porque merece, como grande campeão que é” e “um jogador que eleva o nível do tênis mundial”.

 

 

 

 

Virada

 

 

 

 

Ao derrotar o espanhol Rafael Nadal nas quartas de final, o sérvio Novak Djokovic acreditava ter feito o mais difícil na sua caminhada para o esperado triunfo na terra batida de Roland Garros. As duas outras finais foram perdidas em 2012 e 2014 para o “Rei do Saibro”, até então o garnde obstáculo para qualquer outro tenista no torneio.O atual número 1 do mundo esperava encontrar um adversário difícil no saibro, mas se deparou com uma verdadeira muralha suíça.

 

 

 

 

O jogo foi muito intenso e disputado desde o começo. No primeiro set, a primeria quebra de serviço foi apenas depois de uma dupla falta de Stan Wawrinka que permitiu ao sérvio abrir vantagem em 4/3 e, na sequência, fechar em 6/4.

 

 

 

 

No segundo set, o mais longo, 54 minutos, Wawrinka teve algumas várias chances de quebrar o serviço de Djokovic, mas só conseguiu no final, para devolver um 6/4. Irritado com a perda do set, Djokovic chegou a bater com força sua raquete no chão.

 

 

 

 

No terceiro set, Wawrinka conseguiu impor mais seu jogo e ganhou a simpatia do público com grandes lances que o fez fechar com mais facilidade: 6/3. Djokovic esboçou uma reação no set seguinte, ao abrir 3/0, mas viu o suíço brilhar nas devoluções, nos saques fortes e nas subidas bem sucedidas à rede. Depois de impedir uma quebra no seu serviço, Stanislas Wawrinka aproveitou toda a sua confiança e agressividade para fechar o set em 6/4 e a partida em 3 sets a 1.

 

 

 

Com o resultado, Stanislas Wawrinka diminui sua grande diferença no confronto direto que continua ainda muito favorável ao sérvio com 17 vitórias e, agora, 4 derrotas. O resultado, porém, não altera a posição de Djokovic no ranking. Com as vitórias este ano nos torneios de Indians Wells, Miami, Monte Carlo e Roma, o sérvio, vencedor de 8 Grand Slamas na carreira, continua líder do ranking mundial.

 

 

 

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes de Agências Internacionais e da RFI