Olimpíadas Rio2016: Agência Mundial Antidoping se diz decepcionada com COI por não banir Rússia dos Jogos Olímpicos Rio2016

Agência Mundial Antidoping se diz decepcionada com COI por não banir Rússia dos Jogos Olímpicos Rio2016
Agência Mundial Antidoping se diz decepcionada com COI por não banir Rússia dos Jogos Olímpicos Rio2016

 

A Agência Mundial Antidoping (Wada) publicou uma nota ontem (24) em que se diz decepcionada com a decisão do Comitê Olímpico Internacional (COI) de não vetar os atletas do Comitê Olímpico da Rússia nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A entidade havia recomendado, no último dia 18, que todos os atletas russos fossem barrados, após um relatório apontar envolvimento de membros do governo em um esquema para burlar o controle de dopagem em competições anteriores.

 

 

 

 

A decisão do COI pede que as federações internacionais de cada esporte avaliem se aceitam ou não a inscrição dos atletas russos. Na nota, a Wada afirma que reconhece a opção do COI e se coloca à disposição das federações para ajudar na escolha de atletas.

 

 

 

 

Argumentação

 

 

 

 

“A Wada está decepcionada que o COI não tenha seguido as recomendações de seu Comitê Executivo, que eram baseadas nas descobertas da Investigação McLaren e teriam assegurado uma abordagem harmônica, forte e direta”, diz o presidente da entidade, Craig Reedie, referindo-se à investigação conduzida pelo especialista Richard McLaren, com base em denúncias do ex-diretor do laboratório acreditado pela Wada em Moscou, Grigory Rodchenkov.

 

 

 

 

Para o diretor geral da Wada, Oliver Niggli, a abordagem definida pelo COI “inevitavelmente levará a uma falta de harmonização, potenciais desafios e menos proteção aos atletas limpos”.

 

 

 

 

A Wada afirma, na nota, que estendeu o mandato do especialista para que ele possa finalizar as investigações, que foram realizadas em 57 dias e produziram um relatório parcial.

 

 

 

 

A decisão do COI não muda o banimento da equipe russa de atletismo, que teve casos de doping confirmados e foi proibida de competir pela Federação Internacional de Atletismo.

 

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Agência Brasil