Jogos Parapan-americanos de Toronto 2015: Time Brasil de Natação conquista 20 medalhas e supera campanha de Guadalajara um dia antes do fim das competições da modalidade no Parapan 2015

Carlos Farrenberg faturou a medalha número 200 do Brasil
Carlos Farrenberg faturou a medalha número 200 do Brasil

 

 

 

A quinta-feira, 13, foi especial para a natação brasileira. A um dia do fim das provas da modalidade nos Jogos Parapan-americanos de Toronto, o Brasil superou o número de medalhas conquistadas no Parapan de Guadalajara 2011. A equipe nacional já soma 88 conquistas, sendo 30 de ouro, 24 de prata e 34 de bronze. No México, os nossos nadadores subiram ao pódio 85 vezes (33 ouros, 23 pratas e 29 bronzes).

 
Só nesta quinta-feira, 13, o Brasil disputou 17 finais e conquistou 20 medalhas, sendo seis de ouro, quatro de prata e 10 de bronze. Os nadadores brasileiros ainda quebraram 3 recordes da competição, com Andre Brasil, Maria Dayanne e Matheus Rheine. “O objetivo é em todas as provas, independente da competição, melhorar muito o tempo. Eu vim pra cá com a ideia de baixar a marca que fiz no mundial. Foi meu segundo melhor tempo da vida. A gente tem que analisar para ver como melhorar ainda mais, mas o ouro foi ótimo, claro”, explicou Matheus.

 

 

 
Para completar, Carlos Farrenberg conquistou a medalha de número 200 do Brasil nos Jogos de Toronto ao vencer os 100m livre S13. O nadador, que teve uma intoxicação alimentar que o deixou de fora da final de ontem, comemorou bastante a conquista. “Não estou 100% ainda mas valeu o esforço. Foi mais sofrido do que deveria. A medalha em si foi ótima, vamos ver o tempo, que não me pareceu bom”, disse Carlão, que espera estar recuperado para buscar mais uma medalha nesta sexta-feira, 14, nos 100m borboleta S13.

 

 

 
Andre Brasil, que já havia conquistado dois ouros e uma prata antes das duas medalhas douradas de hoje, confessou que começou a sentir o cansaço da competição, mas nada que o impedisse a chegar em primeiro nos 100m costas S10 e baixar o recorde Parapan-americano. “Queria ter nadado um pouco melhor a prova, mas com esse tempo eu também teria sido campeão mundial. Não é minha melhor marca, mas aqui estão sendo muito mais provas. Estou cansado, feliz, contente. Falta mais um dia ainda”, disse o nadador que volta à piscina do Parapan Am Aquatics Centre nesta sexta-feira para os 100m livre S10 e para o revezamento 4x100m medley 34 pontos.

 

 

 
Daniel Dias também somou dois ouros à sua coleção (que já contava quatro medalhas douradas) nesta quinta: dos 50m costa S5 e do revezamento 4x100m livre 34 pontos. “A estratégia aqui é de nadar bem as provas e to conseguindo fazer e sair daqui com as conquistas”, explicou o multicampeão que ainda disputa duas provas no último dia, os 200m medley S5 e o o revezamento 4x100m medley 34 pontos.

 

 

 
O Brasil, aliás, encerrou o dia com chave de ouro com o revezamento masculino. Além de Andre (S10) e Daniel (S5), caíram n’água Phelipe Andrews (S10) e Ruiter Silva (S9). A estratégia, de deixar os dois atletas mais jovens e mais descansados forçarem mais deu certo, o time brasileiro venceu com mais de nove segundos de vantagem dos donos da casa. “Eu e o Andre a gente tentou se poupar, mas quando você vê o outro atleta te passando, quer passar”, explicou Dias, que foi o segundo a nadar. “Mas a nossa estratégia foi boa, esse revezamento ainda pode evoluir bastante para o próximo ano”, avaliou. Andre concorda: “Somos atletas que ainda queremos buscar algo diferente. A gente quer buscar essa medalha de ouro no Rio, colocar esse revezamnto em um status diferente.”

 

 

 
Confira todas as conquistas da equipe brasileira nesta quinta-feira:

 

 
Ouro

 

 

 

Camille Rodrigues – 100 costas S9 – 1min16s15
Andre Brasil – 100m costas S10 – 1min00s56 (recorde Parapan-americano)
Daniel Dias – 50m costas S5 – 35s97
Carlos Farrenberg – 100m livre S13 – 55s00
Matheus Rheine – 100m livre S11 – 59s85 (recorde Parapan-americano)
Andre Brasil, Daniel Dias, Phelipe Andrews e Ruiter Silva – Revezamento 4x100m livre masculinho 34 pontos – 3min58s53

 

 
Prata

 

 

 
Mariana Gesteira – 100m costas S10 – 1min14s24
Talisson Glock – 50m borboleta S6 – 33s10
Esthefany Rodrigues – 50m costas S5 – 1min00s58
Filipe de Abreu – 100m livre S12 – 59s91

 

 

 
Bronze

 

 

 

Rildene Firmino – 150m medley – 3min44s71
Caio Amorim – 100m livre S8 – 1min02s32
Cecília Araújo – 100m livre S8 – 1min11s80
Verônica Almeida – 50m borboleta S7 – 38s74
Letícia Ferreira – 50m costas S5 – 1min01s03
Ronystony Cordeiro – 150m medley SM4 – 3min03s63
Guilherme Batista – 100m livre S13 – 58s26
Alex Viana – 100m livre S11 –
Renato Nunes – 100m livre S12 – 1min03s13
Raquel Viel – 100m livre S12 – 1min09s28

 

 

 

Recorde Parapan-americano 50m borboleta S6 – Maria Dayanne – 41s08*

 

 
*Como nadou a prova com atletas da classe S7, Maria terminou em 6º.

 

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes da Assessoria de Imprensa do Comitê Paralímpico Brasileiro em Toronto