Jogos Pan-americanos de Toronto 2015: Arthur Zanetti conquista o ouro nas argolas no Pan 2015

Último a se apresentar nas argolas, Zanetti garantiu a nota de 15.725 e subiu no lugar mais alto do pódio em Toronto. Foto: Danilo Borges/ME
Último a se apresentar nas argolas, Zanetti garantiu a nota de 15.725 e subiu no lugar mais alto do pódio em Toronto. Foto: Danilo Borges/ME

 

 

 

A medalha de ouro que faltava na trajetória vitoriosa do ginasta Arthur Zanetti foi conquistada nesta terça-feira (14.07), nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá. Na prova das argolas, o paulista coleciona um título mundial na Antuérpia, em 2013, o ouro olímpico em Londres-2012 e ainda o Sul-Americano de 2013, em Santiago. Dessa vez, ele subiu ao lugar mais alto do pódio na cidade canadense e completou a coleção de títulos.

 

 

“Estou feliz demais. Era um resultado que eu queria ter. Quando você quer, a cobrança é maior. É a medalha que faltava na minha coleção. Tenho que agradecer a todos os profissionais que trabalham comigo em São Caetano, meus apoiadores e ao povo brasileiro que torceu por mim”, comemorou o brasileiro.

 

Campeão nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e no Mundial de 2013, ginasta brasileiro garantiu nesta terça a inédita medalha dourada do Pan na prova individual das argolas -  Foto: Danilo Borges/ME Foto: Danilo Borges/ME
Campeão nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e no Mundial de 2013, ginasta brasileiro garantiu nesta terça a inédita medalha dourada do Pan na prova individual das argolas – Foto: Danilo Borges/ME Foto: Danilo Borges/ME

 

 

Último a se apresentar, Zanetti garantiu a nota 15.725. Agora, o objetivo do brasileiro muda: ele vai direcionar os treinamentos para ajudar a ginástica brasileira na prova por equipes. “Depois de ter conquistado tantas medalhas, a minha motivação agora é na disputa por equipes”, revelou.

 

Arthur Zanetti conquista o ouro que faltava em sua carreira - Foto: Danilo Borges/ME
Arthur Zanetti conquista o ouro que faltava em sua carreira – Foto: Danilo Borges/ME

 

 

O técnico de Arthur, Marcos Goto, também exaltou o título, que coroa a preparação feita no CT no Brasil e depois na etapa da Copa do Mundo, disputada em solo verde e amarelo. “Esse era o último título que faltava para celebrar uma carreira vitoriosa na ginástica. Agora, vamos focar no Mundial para classificar o Brasil para os Jogos Olímpicos”, disse o técnico, se referindo à competição que será disputada entre 23 de outubro e 1º de novembro em Glasgow, na Escócia.

 

 

 

Brasileiros

 

 

 

 

A primeira apresentação brasileira no dia foi no solo masculino. Substituindo Diego Hypolito, que ficou de fora do Pan por lesão nas costas, o ginasta do Clube Pinheiros Arthur Nory fez uma apresentação de 1min6s e terminou a performance em quinto lugar, com 14.700 pontos. O atleta não ficou satisfeito com o resultado. “A final é cheia de detalhes e o atleta tem somente uma chance. Dava para brigar por medalhas. Eu tinha as mesmas condições dos adversários, mas eu errei no final e acabou prejudicando na minha nota”, analisou o atleta, que é beneficiado pelo programa Bolsa Pódio do Ministério do Esporte.

 

 

 

 

A medalha de ouro no solo masculino ficou com Jorge Lopes, da Guatemala, com 15.150, seguido por Donnell Whittenburg (14.975) e Samuel Mikulak (14.925), dos Estados Unidos.

 

 

 

 

Aos 30 anos, a bolsista do governo federal Daniele Hypolito é a ginasta mais experiente da delegação brasileira. A atleta terminou a prova de salto em quarto lugar, com 14.062 pontos. Na avaliação da ginasta, os dias de competições em Toronto estão mostrando que a regularidade é o caminho da evolução. “Da classificatória para hoje eu melhorei a atuação. Fiquei em um quarto lugar que poderia ser um terceiro. Isso é importante para a minha carreira. Nestes três dias estou feliz, porque venho competindo muito bem e amanhã (nesta quarta-feira) será a minha prova (solo), onde tenho que fazer o meu melhor”, disse.

 

 

 

 

O título da prova ficou com a cubana Marcia Jimenez, que somou 14.737 pontos. A prata foi para Yamilet Abreu, da República Dominicana (14.250). E o bronze para a canadense Ellie Black, que somou 14.087.

 

 

 

 

O quarto dia de competições de ginástica artística contou ainda com dois brasileiros na prova do cavalo com alças. Francisco Barreto terminou na sexta colocação, com 14.450 pontos, e Lucas Bitencourt ficou na oitava, com 12.825.

 

 

 

Preparação

 

 

 

 

O Pan de Toronto é um teste importante para o principal compromisso dos ginastas brasileiros em 2015. Em outubro, no Mundial de Glasgow, na Escócia, será a primeira chance de conquistar uma vaga por equipe para os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro.

 

 

 

 

Além do ouro de Zanetti, a ginástica artística brasileira conquistou uma medalha de prata, com a equipe masculina geral, e dois bronzes: por equipe feminina geral e com Flávia Saraiva no individual geral. Na última edição do Pan, em 2011, no México, a ginástica brasileira voltou para casa com três ouros, uma prata e dois bronzes.

 

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes de Agências de Notícias e da www.brasil2016.gov.br