Jogos Pan-Americanos de Lima 2019 – Vôlei de Praia: Carol Horta/Ângela vence cubanas e conquista o bronze para o Brasil

Carol Horta (esq) e Ângela celebram ponto no Pan de Lima (Créditos: Wander Roberto/COB)

 

O vôlei de praia brasileiro manteve a escrita e seguiu no pódio dos Jogos Pan-Americanos. Carolina Horta e Ângela (CE/DF) superaram na tarde desta terça-feira (30.07) as cubanas Mailen Deliz e Leila Martinez por 2 sets a 0 (21/19, 21/18) e conquistaram a medalha de bronze em Lima (Peru). É a 12ª medalha do país na história da competição pan-americana, não ficando de fora do pódio em nenhuma das edições desde 1999, quando foi incluído.

 

 

A medalha foi conquistada na superação. Em quadra, já que as cubanas estiveram na frente do placar nos dois sets, e fora, com o trabalho de recuperação após revés para as norte-americanas na semifinal, na última segunda. Carolina Horta, muito emocionada, comentou a conquista da medalha e agradeceu ao trabalho da comissão técnica.

 

 

“Ficamos muito felizes, muito emocionadas com esta medalha de bronze. Saímos de um jogo muito duro ontem na semifinal, estávamos com o placar na frente, vencendo. Tivemos que recuperar a cabeça para o jogo de hoje. As cubanas são muito aguerridas, cheias de raça, sabia que seria difícil. Nos concentramos muito para poder chegar aqui e dar nosso melhor. Conseguimos fazer nosso papel bem. Agora é comemorar o bronze, essa medalha é para o Brasil. Tenho que agradecer, essa torcida e apoio foi muito importante”, disse a cearense.

 

 

Carolina inclusive foi o destaque e maior pontuadora da partida, anotando 24 pontos, sendo 21 em ataque, dois em bloqueio e um no saque. Ângela, menos visada nos saques adversários, anotou 10 pontos de ataque, um em bloqueio e um no saque. Ela também analisou.

 

 

“Não joguei bem na semifinal, falhamos como time, mas o esporte é assim, é algo natural dele a derrota e a vitória. Em um jogo você não está bem, no outro você brilha. Hoje foi um novo dia. Tenho que agradecer muito à Carol e à minha equipe que ajudou bastante. Estou muito emocionada em ter conseguido superar um momento de pressão, e recuperar para conseguirmos o bronze”, comemorou.

 

 

O Brasil é o país com mais medalhas na história dos Jogos Pan-Americanos, desde a inserção da modalidade no programa esportivo, em 1999. Somando os gêneros masculino e feminino, são cinco medalhas de ouro, três de prata e agora quatro de bronze. Cuba aparece na segunda posição, com seis medalhas conquistadas no total.

 

 

Carolina Horta chega à segunda medalha nos Jogos Pan-Americanos, já que em 2015, em Toronto (Canadá), também levou o bronze, jogando ao lado de Lili (ES). Ângela, por sua vez, conquista sua medalha de maior destaque aos 38 anos, com uma linda trajetória de vitórias e conquistas no cenário nacional e internacional.

 

 

A campanha de Carol e Ângela no Pan de Lima contou com cinco vitórias, todas por 2 sets a 0, e apenas uma derrota, na semifinal, para as norte-americanas Cook e Pardon. A dupla, que treina em cidades separadas, se juntou em 2018, conquistando etapas do Sul-Americano e duas pratas no Circuito Mundial 2019, em etapas duas estrelas na China.

 

 

O Jogo

 

 

A partida começou com os times se estudando, errando alguns saques e trocando a liderança no placar. As brasileiras abriram dois pontos de vantagem, mas as cubanas viraram o placar e abriram 7 a 5. Na parada técnica, o time de Cuba vencia por 12 a 9. Carol Horta e Ângela foram buscando a recuperação ponto a ponto, ajustando o passe e levantamento, e reduziram a desvantagem: 15 a 14, forçando pedido de tempo de Leila e Mailen Deliz.

 

 

Carol cresceu após um momento difícil e empatou logo após o pedido de tempo, em ataque que tocou na rede. Na jogada seguinte, a virada brasileira novamente em ataque da cearense. Em lance inusitado, com Ângela no bloqueio, as brasileiras abriram 19 a 16 e encaminharam a vitória na parcial. As cubanas salvaram dois set points, mas na terceira tentativa, Carol explorou bloqueio e fechou por 21 a 19.

 

 

A segunda parcial começou com a equipe de Cuba abrindo 4 a 2 em bloqueio. O time brasileiro cresceu na virada de bola e virou o placar para 7 a 6 em largada de Ângela no fundo. Na parada técnica, Carol/Ângela vencia por 11 a 10. Leila e Deliz cresceram no saque e conseguiram a virada, mas novamente as brasileiras buscaram o jogo, e após longo rally com grandes defesas de Ângela, conseguiu abrir 18 a 16 no placar.

 

 

 

Explorando bloqueio cubano, Carol conseguiu marcar 20 a 18 e deixou a medalha mais próxima. Na jogada seguinte, novamente Carol se destacou, fazendo a defesa no recuo e atacando explorando bloqueio das cubanas, fechando o set por 21 a 18 e a partida em dois sets diretos. Medalha de bronze para o Brasil.

 

 

Masculino

 

Oscar e Thiago (RJ/SC) também entraram em quadra nesta terça-feira em duelo para definição de sétimo ou oitavo lugares. E os brasileiros venceram os venezuelanos Tigrito Gomez e Rolando Hernandez por 2 sets a 0 (21/17, 21/11), ficando com a sétima posição nos Jogos Pan-Americanos de Lima. A campanha dos brasileiros contou com três vitórias e três derrotas.

 

 

Da Redação com informações provenientes da ANSA