Jogos Pan-Americanos de Lima 2019 – Mountain Bike: Avancini supera problemas mecânicos e garante prata para o Brasil no Mountain Bike no Pan de Lima

Pneu traseiro furado foi decisivo para tirar o ouro de Avancini. Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

 

O ciclista brasileiro Henrique Avancini experimentou neste domingo (28.07) uma boa dose da imprevisibilidade típica do mountain bike. Na largada, o cabo de suspensão de sua bicicleta arrebentou. Ele teve que disputar a prova sem o item. Na terceira das sete voltas de 4,2km no circuito, viu o pneu traseiro furar e perdeu cerca de três minutos com problemas mecânicos. O brasileiro até que tentou, mas a diferença para o mexicano Jose Ulloa Arevalo ficou grande. Mesmo com tantas dificuldades, ele garantiu para o Brasil a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019.

 

“Eu consegui fazer um milagre, mas não dois. Isso faz parte do esporte, do contexto da modalidade. Embora eu tenha largado para voltar para casa com o ouro, a prata era o máximo disponível dentro das circunstâncias”, lamentou. Henrique Avancini, apoiado pelo programa Bolsa Atleta da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, é o maior nome do país na prova. Atualmente, o ciclista ocupa o terceiro lugar no ranking mundial.

 

O título da prova masculina ficou com o mexicano Jose Ulloa Arevalo, com o tempo de 1h25min03s. O brasileiro cruzou a linha de chegada em 1h27min08s. O chileno Martin Kossmann ficou em terceiro, com 1h27min31s.

 

O brasileiro teve que enfrentar as subidas do circuito montado em um sítio arqueológico no Morro Solar, aos pés do Cristo Redentor de Lima, com controle mental para superar os problemas mecânicos. “Esse foi o meu primeiro problema mecânico no ano. Sou um cara que consegue pilotar razoavelmente limpo, o meu estilo é menos agressivo, um pouco mais fluído. Foi o primeiro azar, enfim. É uma coisa que realmente não esperava, arrebentar um cabo na primeira vez que acionei a trava. Consegui reverter bem isso mentalmente, me manter concentrado. Isso ficou claro, tanto que o mexicano não conseguiu abrir até furar o meu pneu. Fisicamente eu fiz o meu máximo hoje”, analisou.

 

Avancini ressaltou que volta para o circuito mundial com uma lição. “Competir é aprender. Eu vou tirar lições dessa prova, mas é uma grande frustração pelo nível que venho competindo na temporada e pelo desejo que tinha pelo ouro. Larguei para conquistar o título e ficou claro que eu tinha condições. Tiro o lado positivo do esporte, as lições que a prova ofereceu, mas não deixa de ser uma frustração de não voltar para casa com a medalha de ouro” disse.

 

 

Da Redação com informações de Breno Barros, de Lima, no Peru – rededoesporte.gov.br