Jogos Pan-Americanos de Lima 2019 – Ginástica Artística: Flávia Saraiva volta ao pódio e é bronze no individual geral da ginástica artística

Flavinha mais uma vez no pódio: bronzes por equipe e no individual geral. Foto: CBGinástica

 

Depois de conquistar a medalha de bronze por equipes no último sábado (27.07), Flávia Saraiva voltou ao pódio dos Jogos Pan-Americanos Lima 2019 nesta segunda-feira (29). Corrigindo erros na trave e com altas notas no salto e no solo, a ginasta somou 54.350 pontos e faturou a medalha de bronze na final do individual geral, repetindo o desempenho de Toronto 2015, atrás apenas da canadense Ann Elsabeth Black (55.250) e da norte-americana Riley Mc Cusker (55.125). A brasileira Thaís Fidélis terminou em sexto lugar (52.700).

 

 

 

“É muito gratificante receber essa medalha por tudo que eu treinei. Este ano foi difícil. Estar aqui trabalhando e receber essa medalha, eu fico até emocionada porque não foi um trabalho só meu, mas de toda a equipe”, afirmou a atleta de 19 anos. “Tive altos e baixos. O principal foi que eu não desisti. As pessoas estavam do meu lado, me dando força. Quando eu descia, me empurravam para subir. Se não fosse isso, não estaria aqui com essa medalha”, completou.

 

 

 

No mesmo grupo da canadense e das duas norte-americanas classificadas para a final, as brasileiras estrearam na disputa pelo salto. Fortes no aparelho, Thaís somou 13.700 e Flávia alcançou 14.150. A seguir, contudo, teriam pela frente as assimétricas, aparelho mais complicado para o país. Foi ali que as duas tiveram as notas mais baixas do dia: 12.750 para Thaís e 12.800 para Flávia.

 

 

 

Já na trave, a dupla precisava hoje de uma apresentação mais forte do que a da classificação, quando ambas sofreram quedas e ficaram com notas aquém do esperado. Thaís saiu dos 12.200 pontos da qualificatória para 13.000 na final, enquanto Flávia elevou a nota de 12.900 para 13.500. Até aí, Flavinha seguia em quarto lugar, atrás da norte-americana Kara Eaker.

 

 

Foi no solo que a brasileira cativou a torcida da Villa El Salvador, alcançou 13.900, a maior nota do aparelho entre as 24 ginastas, e passou à frente da rival para garantir o pódio. “Quando você faz o solo e vê que a torcida está torcendo por você, isso é muito bom, você sente um gás e uma emoção a mais. Isso dá força para conseguir terminar”, comentou, animada. Thaís fechou o aparelho com 13.250 pontos. “Apesar de ser meu primeiro Pan, estou muito feliz por ter feito parte da equipe”, disse a ginasta de 18 anos.

 

 

Na próxima quarta-feira (31), Flavinha ainda disputa as finais da trave e do solo. “Mesmo se não tivesse ganhado a medalha, iria com tudo para as finais. Acho que hoje é o dia de aproveitar. Quarta-feira é um novo dia e preciso me concentrar e voltar”, avaliou. Thaís Fidélis também estará na final do solo, enquanto Lorrane Oliveira e Carolyne Pedro representam o país na decisão das assimétricas, nesta terça-feira (30), às 17h10 (horário de Brasília).

 

 

Programação

29.07
20h – Final do individual geral (masculino)

30.07
15h – Final por aparelho – solo (masculino)
15h40 – Final por aparelho – salto (feminino)
15h40 – Final por aparelho – cavalo com alças (masculino)
17h10 – Final por aparelho – assimétricas (feminino)
18h – Final por aparelho – argolas (masculino)

 

 

31.07
15h – Final por aparelho – trave (feminino)
15h – Final por aparelho – salto (masculino)
16h20 – Final por aparelho – solo (feminino)
16h20 – Final por aparelho – paralelas (masculino)
17h10 – Final por aparelho – barra fixa (masculino)

 

 

Da redação com informações provenientes de Ana Cláudia Felizola, de Lima, no Peru – rededoesporte.gov.br