Jogos Olímpicos Rio 2016: Seleção Brasileira Feminina de futebol estreia contra China na disputa do ouro das Olimpíadas Rio 2016.

Seleção Brasileira Feminina de futebol estreia contra China na disputa do ouro das Olimpíadas Rio 2016. - Foto: Ricardo Stuckert/CBF
Seleção Brasileira Feminina de futebol estreia contra China na disputa do ouro das Olimpíadas Rio 2016. – Foto: Ricardo Stuckert/CBF

 

 

Chegou a hora! A bola vai rolar nesta quarta (3) para o torneio feminino de futebol, primeira competição dos Jogos Rio 2016, dando o pontapé inicial para o maior evento esportivo do mundo no Brasil. São 12 seleções, que estarão em ação em sete estádios, ao longo de 16 dias na disputa pelas medalhas da primeira edição Olímpica da América do Sul.

 

 

 

A primeira partida dos Jogos reunirá Suécia e África do Sul, a partir das 13h, no Estádio Olímpico, o Engenhão, no Rio de Janeiro. Três horas depois, no mesmo local, o Brasil vai a campo contra a China. O primeiro dia de competições, que terá seis partidas, também tem como destaque a estreia da seleção dos Estados Unidos, tetracampeã Olímpica, às 19h, diante da Nova Zelândia, no Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

 

 

 

 

Jogando em casa, a seleção brasileira é considerada uma das favoritas à inédita medalha de ouro. O time, que ganhou a prata em Atenas 2004 e Pequim 2008, conta com alguns dos principais nomes do futebol mundial, como a camisa dez Marta, eleita a melhor jogadora do mundo entre 2006 e 2010. A alagoana conta com a força da torcida na disputa pelo lugar mais alto do pódio.

 

 

 
“A gente espera que a torcida compareça. Tenho boas lembranças do Pan e espero reviver isso tudo em uma Olimpíada. A torcida será um fator fundamental para nós. Naquele lance que achamos que não vamos chegar, quando ela grita, nos impulsiona e a gente consegue”, revela a canhota.

 

 

 

 
Outros destaques do grupo convocado pelo técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, são a atacante Cristiane, maior artilheira da história dos Jogos Olímpicos, com 12 gols, e a meio-campista Formiga, de 38 anos, que vai para sua sexta edição Olímpica consecutiva – participou inclusive da estreia do futebol feminino dos Jogos, em Atlanta 1996.

 

 

 

 
“Todos os olhos estarão voltados para nós e para o futebol feminino. Fizemos um trabalho para controlar a expectativa em relação ao torcedor. Temos que usar isso a nosso favor e não deixar atrapalhar. Essas três atletas (Marta, Cristiane e Formiga), com toda a experiência Olímpica e de seleção brasileira, vão dar equilíbrio às jogadoras jovens. E quando digo jovens não é só em termos de idade, como também aquelas que nunca disputaram os Jogos”, explica o treinador.

 

 

 
Espiãs chinesas

 

 

 
Para a estreia, contra a China, oitava colocada na Copa do Mundo de 2015, o treinador brasileiro contará com informações passadas por espiãs de luxo, já que cinco jogadoras que fazem parte do elenco da seleção atuam no futebol chinês: as defensoras Fabiana e Rafaelle e as atacantes Debora, Raquel e Darlene.

 

 

 

 

“As jogadoras nos trouxeram muitas informações sobre as atletas chinesas. Elas mudaram de técnico recentemente e, com a entrada do francês (Bruno Bini), deixaram de ser um time que joga no contra-ataque e passaram a atuar com mais agressividade, marcando por pressão”, analisa Vadão.

 

 

 

 

Em Belo Horizonte, na estreia da seleção dos Estados Unidos, a goleira Hope Solo ficará perto de uma marca histórica. A jogadora de 35 anos, bicampeã Olímpica e campeã mundial, tem 198 jogos pela seleção e vai chegar à marca de 200 partidas nos Jogos Rio 2016. O objetivo da veterana é ajudar a equipe a tornar-se a primeira na história a ganhar o ouro Olímpico no ano seguinte ao do título mundial.

 

 

 

 
“Nenhum time conseguiu fazer isso e, se tivermos sucesso, vamos fazer história. É uma pressão a mais e um desafio, mas também algo divertido”, diz a goleira, que acredita que espera mostrar todo seu potencial no Rio 2016.

 

 

 

 
“Acho que o mundo ainda não viu o melhor de mim. Já disputei torneios importantes, como os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo, e tive bons momentos, mas não acredito que tenha mostrado tudo que posso. Sou muito competitiva e exigente e quero sempre mais”, comenta.

 

 

 

 

Outras três partidas estão programadas para o primeiro dia do futebol feminino: Canadá x Austrália, às 15h, e Zimbábue x Alemanha, às 18h, ambas na Arena Corinthians, em São Paulo (SP), além de França x Colômbia, às 22h, no Mineirão.

 

 

 

 

 
Da Redação com informações provenientes do Rio 2016