Jogos Olímpicos Rio 2016: Rio tem esquema especial para a passagem da tocha olímpica pela cidade

Coletiva da Festa da Tocha - Foto: RMC/Paulo Araújo.Geral da mesa.
Coletiva da Festa da Tocha – Foto: RMC/Paulo Araújo.Geral da mesa.

 

Símbolo maior dos Jogos, a chama olímpica chega ao Rio de Janeiro nesta quarta-feira (03/08), às 9h, depois de percorrer 324 cidades de todos os estados do país. Ao longo de três dias, cerca de 600 pessoas participarão do revezamento da tocha, que percorrerá 90 quilômetros da cidade até sexta-feira (05/08), quando ocorre o acendimento da pira olímpica na Cerimônia de Abertura dos Jogos Rio 2016, no Maracanã. Para garantir que a passagem pelas ruas do Rio seja tranquila e a população possa participar da festa, a prefeitura decretou feriado municipal na quinta-feira (04/08), nos mesmos moldes do que acontecerá nos dias 18 e 22, quando o comércio permanece aberto.

 

 

 

 

 

Para contar como será a operação responsável pela circulação da chama olímpica pelas ruas da cidade, o prefeito Eduardo Paes; o diretor-executivo de Comunicação do Comitê Rio 2016, Mário Andrada; o secretário-executivo municipal de Governo, Rafael Picciani; o diretor de operações da CET-Rio, Joaquim Dinis; e o chefe-executivo do Centro de Operações Rio (COR), Pedro Junqueira, participaram de uma entrevista coletiva no Rio Media Center (RMC)  nesta terça-feira.

 

 

 

 

“Chegou a hora de perceber que o que está acontecendo no Rio não vai se repetir por algumas  gerações, que nunca aconteceu na história da América do Sul. É um momento muito especial da história do nosso país e da nossa cidade. Vale a pena qualquer esforço para que a gente possa mostrar ao mundo que o Rio é um lugar muito especial, que o Brasil é um lugar muito especial, que temos um povo incomparável”,  afirmou o prefeito Eduardo Paes.

 

 

 

 

Na quarta-feira, a maior parte do trajeto da tocha será pelas ruas do Centro, inclusive com a utilização do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), e terá a presença do gari Renato Sorriso, figura emblemática do Carnaval carioca,  e da cineasta Carla Camurati.

 

 

 

 

“Quando conduzir a tocha quero que as pessoas sintam amor, carinho e paixão pelo Rio. Que a passagem da tocha transmita paz, que possamos ser cariocas com firmeza. Vou correr tão devagarinho que vou fazer meus 200 metros virarem um dia”, brincou Sorriso.

 

 

 

 

Garçom da Confeitaria Colombo, comércio tradicional do Centro, Orlando Duque comemorou o convite: “Ando até meio nervoso para conduzir a tocha. Tem família vindo de Brasília para ver. É uma honra muito grande e uma felicidade participar deste evento no ano em que completo 65 anos de trabalho na Colombo”.

 

 

 

 

Na quinta-feira (04/08), o percurso da tocha começa pela Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca, passa pela Praia da Macumba, onde será conduzida pelo surfista Rico de Souza; chega ao Palácio 450, em Madureira, onde Tia Surica e Monarco fazem o beijo da chama; e segue para a Praça Mauá, onde haverá o acendimento da pira de celebração. Em um revezamento noturno inédito na passagem do símbolo pelo país, a tocha segue pela Zona Sul, da Gávea a Copacabana, encerrando a noite.

 

 

 

 

“Fiquei muito orgulhoso e alegre com o convite, mas não esperava que seria tanta responsabilidade. Estou treinando com mar pequeno e mar grande, para representar o Brasil e o surfe da melhor forma possível. Sempre gostei de um desafio”, festejou Rico, que terá a missão de conduzir a tocha em cima da prancha na Praia da Macumba.

 

 

 

 

Na sexta-feira (05/08), a tocha olímpica sai do Cristo Redentor, pela manhã, com a participação do cardeal arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta. Em seguida, passa pelo Palácio da Cidade, onde servidores municipais como o jornalista Idalício Manoel de Oliveira, há 39 anos na área de imprensa; e Gyleno dos Santos,  garçom do gabinete do prefeito há 35 anos, conduzem a tocha pelo jardim. O revezamento percorre ainda o trecho da orla da Avenida Niemeyer à Urca, com direito a passagem pelo Pão de Açúcar, e segue para o Aterro do Flamengo, onde o cavaleiro Rodrigo Pessoa encerra o percurso em frente ao Monumento aos Pracinhas.

 

 

 

“Será uma caminhada histórica, emocionante. Fiquei muito feliz por ter sido convidado, mesmo não sendo atleta”, contou Idalício.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Rio Media Center