Jogos Olímpicos Rio 2016: Refugiada conduz tocha e emociona a Vila dos Atletas das Olimpíadas Rio 2016

 

 

Corredora Anjelina Lohalith atravessa a Vila dos Atletas com a tocha (Foto: Rio 2016/Alexandre Vidal)
Corredora Anjelina Lohalith atravessa a Vila dos Atletas com a tocha (Foto: Rio 2016/Alexandre Vidal)

A tocha Olímpica está no Rio de Janeiro, e na manhã desta quinta-feira (4) passou pela Vila dos Atletas. Foram sete condutores neste trecho do percurso, entre eles um voluntário e seis atletas.

 

 

 

Integrante do primeiro Time Olímpico de Refugiados e corredora dos 1500m, Anjelina Lohalith viveu um momento emocionante. Ela encerrou o revezamento na Vila, e por onde passou foi bastante fotografada e saudada por outros atletas.

 

 

 
“É uma grande oportunidade representar todos os refugiados que sofrem no mundo nesse momento. Porque a tocha é também um símbolo de paz e esperança para os povos. É algo maravilhoso, e quero que chame atenção para a nossa causa”, disse Anjelina.

 

 

 

 
A jovem fugiu do Sudão do Sul em 2001, quando o país mergulhou numa gerra civil. Ela tinha apenas seis anos e nunca mais conseguiu rever aa família.

 

 

 

 

 

Atleta do remo na categoria single skiff, Luigi Teilemb, 24 anos, mal conseguia crer que foi escolhido no sorteio do revezamento da tocha. Essa é a primeira participação dele em Jogos Olímpicos. “Parece que é um sonho. Venho de um país que poucos conhecem, muito pequeno, Vanuatu. Então é como se todos estivessem aqui comigo agora, vivendo esse dia”, disse Teilemb.

 

 

 

 
Além de Anjelina e Luigi, participaram do revezamento na Vila Olímpica o voluntário carioca Arthur Pedrozo, o esgrimista romeno naturalizado alemão Matyas Szabo, o corredor Kefasi Chitsala, do Maláui, o boxeador Charly Suarez, das Filipinas, e a velejadora Ceci Wollmann, das Bermudas.

 

 

 

 
Da Redação com informações provenientes do Rio 2016