Jogos Escolares da Juventude 2016 – João Pessoa: A Paranaense Amanda Kunkel venceu a prova de resistência do ciclismo de estrada dos Jogos Escolares em João Pessoa.

A Paranaense Amanda Kunkel venceu a prova de resistência do ciclismo de estrada dos Jogos Escolares em João Pessoa. - Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB
A Paranaense Amanda Kunkel venceu a prova de resistência do ciclismo de estrada dos Jogos Escolares em João Pessoa. – Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB

 

 

A paranaense Amanda Kunkel conquistou na manhã deste domingo, dia 13, a medalha de ouro na prova de resistência dos Jogos Escolares da Juventude João Pessoa 2016, para atletas de 15 a 17 anos. Aluna do Colégio Estadual Tomaz Edison de Andrade Vieira, de Maringá (PR), Amanda completou a prova em 43min34s379, apenas 0s335 na frente da segunda colocada na prova, a paraibana Maria Elisa Jacinto, da Escola Professor Itan Pereira (PB). Marcella Silva Pereira, da Escola Liceu (SP), completou o pódio.

 

 

 

 

Amanda completa 15 anos no dia 12 de dezembro e apesar da pouca idade dominou as competições de ciclismo dos Jogos Escolares. Ela também venceu a prova por pontos e ficou com a medalha de prata no contrarrelógio. No ano passado, em Fortaleza 2015, na competição para alunos-atletas de 12 a 14 anos, Amanda conquistou as três medalhas de ouro.

 

 

 

“Esse ano foi bem mais difícil. Foi uma competição muito forte, com várias atletas do mesmo nível. Tentei me manter na frente desde o início, para evitar a fuga de outras adversárias, mas o problema é que só eu e a Esther, minha companheira de equipe, nos revezávamos para puxar a fila. Foi difícil, mas a tática do meu técnico, o Carlão (Carlos Martinelli), deu certo. É incrível como tudo o que ele fala acontece na corrida”, disse Amanda, logo após a prova.

 

 

 

A jovem atleta competiu com a bicicleta que era do pai – Ademir Luís Kunkel –, seu grande incentivador na carreira. Amanda começou no ciclismo aos 9 anos e é fã de Ana Paula Casetta e Gabriela Yumi, outras duas atletas que se destacaram nos Jogos Escolares em edições anteriores e que treinam juntas no mesmo local, o Clube Maringaense de Ciclismo. Seu sonho agora é disputar uma competição internacional e, quem sabe, participar do giro cor de rosa, a versão feminina do Tour de France.

 

 

 

“Meu pai fazia trilhas de motocross e eu ia de bike acompanhando ele. Comecei no esporte na verdade no mountain bike, mas agora disputo apenas competições de estrada e de pista. Meu sonho agora é correr fora do Brasil, nem que seja no Paraguai, mas um dia eu sei que vou conseguir”, afirmou a atleta, que dedicou a vitória aos pais, ao técnico Carlão e à sua companheira de equipe Esther Fernanda da Silva Cruz, que cruzou a linha de chegada em quarto lugar.

 

 

 

A bandeirada de largada e de chegada da prova foi dada pelo Embaixador dos Jogos Escolares, Gideoni Monteiro, que ficou em 13º lugar no Omnium dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Gideoni encerrou um hiato de 24 anos sem um brasileiro competindo nas provas de pista olímpicas (o último foi Fernando Louro, nos Jogos Olímpicos de Barcelona 1992). O atleta distribuiu autógrafos, posou para fotos e conversou com todos os atletas antes e depois da prova.

 

 

 

 

“É muito gostoso acompanhar o surgimento dessa nova geração. Ver como está a expectativa deles, sentir o brilho nos olhos, ver a carinha da garotada… Meu ciclo completo como atleta só será encerrado quando eu ver um desses jovens brilhar no futuro e dizer que graças ao meu incentivo que eles perseveraram no esporte. Aí sim vou me sentir realizado”, disse Gideoni, que já traça as estratégias de treinamento para disputar os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

 

 

 

“A vaga conquistada para disputar os Jogos olímpicos já foi uma barreira quebrada. Fiquei em sexto lugar na prova por pontos e vi que estamos muito próximos dos melhores do mundo. Se em dois anos de treinamento eu quase consegui atingir o objetivo de terminar a prova entre os top 10, imagina com seis anos de treinamento? O fato dos Jogos Olímpicos terem acontecido no Brasil também foi muito importante para o público brasileiro conhecer o esporte. São provas muito dinâmicas, muito interessantes e acredito que os brasileiros agora entendem mais do ciclismo de pista e passem a se interessar mais pelo esporte”, disse.

 

 

 

 

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Grupo Globo, com apoio do Governo da Paraíba e patrocínio máster da Coca-Cola.

 

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes do COB