Jogos Pan-Americanos de Lima 2019 – Time Brasil: Brasil goleia o Canadá por 41 x 12 e vai à semifinal do handebol no Pan 2019

Adriana Cardoso marcou dez gols na partida. Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

 

A armadora-direita Bruna de Paula não imaginava que um dia iria dividir a quadra com grandes nomes como Duda Amorim e Deonise Fachinello. Acostumada a assistir a Seleção Brasileira pela televisão, a jovem de 22 anos, que recebe o apoio financeiro do programa Bolsa Atleta da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, realizou o sonho de jogar na equipe principal e virou símbolo da nova safra do país. Nesta quinta-feira (25.07), Bruna foi uma das protagonistas da goleada da seleção contra o Canadá, por 41 x 12. A vitória garantiu vaga na semifinal dos Jogos Pan-Americanos Lima 2019, no Peru.

 

 

Na estreia, a seleção comandada pelo espanhol Jorge Dueñas venceu Cuba por 29 x 20. Já classificada, a equipe volta à quadra do Ginásio Polideportivo 1 da Villa Deportiva Nacional (VIDENA) neste sábado (27.07) para enfrentar Porto Rico, a partir das 20h30 (de Brasília).

 

 

 

Com velocidade e agilidade, Bruna domina a ponta direita da quadra adversária. A armadora, natural de Campestre, interior de Minas Gerais, defende o clube Fleury Loiret, que disputa a Liga Francesa Feminina de Handebol. Na sua estreia em Jogos Pan-Americanos, ela converteu seis gols para o Brasil. Nesta quinta marcou mais quatro. “Para mim é um prazer jogar com grandes jogadoras na Seleção, porque sempre foi meu sonho. Não tenho palavras para expressar o meu sentimento em fazer parte desse time”, revela Bruna.

 

 

Para a armadora Dudu Amorim, eleita melhor jogadora do mundo em 2014, a nova geração está reinventando a equipe nacional. “A Bruna é a jogadora que está mais despontando no momento. Acho muito importante a participação dela, porque significa que a gente pode ter mais rotação na equipe. Por muito tempo eu, a Ana Paula e a Deonise estamos jogando e as equipes adversárias já sabem nos enfrentar. Com as novas jogadoras estamos nos reinventando. Então, Samara, Bruna, Jaque e Matieli são jogadoras seguras que ajudam muito a gente”, analisou.

 

 

Partida

 

 

Depois de passar o nervosismo da estreia, a Seleção Brasileira mostrou superioridade desde o início da segunda partida nos Jogos Pan-Americanos. A armadora Deonise foi poupada. Nos primeiros 10 minutos em quadra, a equipe já sustentava a vantagem de cinco pontos. Adriana Cardoso converteu os seis arremessos que executou. Já a armadora Bruna de Paula marcou três para o país. Com tranquilidade, equipe garantiu a vitória parcial por 20 x 5.

 

 

O domínio continuou no segundo período. Com o resultado já encaminhado, o técnico Jorge Dueñas decidiu poupar Bruna de Paula boa parte do segundo tempo. Com tranquilidade, o Brasil fechou a partida por 41 x 12. Outro destaque do Brasil foi Adriana Cardoso, estreante no Pan, que converteu 10 gols em 10 tentativas.

 

 

Atual pentacampeã, a seleção feminina, que conta com seis atletas campeãs mundiais em 2013 – Ana Paula, Babi, Deonise, Duda Amorim, Elaine e Mariana Costa – vai atrás do sexto título consecutivo. A última vez que a seleção perdeu foi nos Jogos de Mar del Plata, em 1995, na Argentina. A competição em 2019 é estratégica para o país, já que a equipe campeã garante vaga nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

 

 

Segunda Rodada

 

 

Pelo Grupo B, a Seleção dos Estados Unidos venceu a República Dominicana por 26 x 22. Já a Argentina não deu chance para a seleção da casa, garantindo a vitória por 52 x 7 contra o Peru. No Grupo do Brasil, Cuba derrotou Porto Rico por 27 x 24. Com o resultado, a Seleção Brasileira avança para as semifinais, onde briga para garantir ao menos a medalha de prata no handebol.

 

 

Investimento federal

 

 

A Seleção Brasileira de handebol feminino conta com 21 jogadoras no Pan, das quais 13 recebem o benefício do Bolsa Atleta, da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. Na delegação brasileira como um todo, 71% dos esportistas das modalidades do programa olímpico são beneficiados pelo programa do governo federal, com investimento de R$ 14,6 milhões ao ano.

 

Sistema de disputa

 

 

As disputas de handebol contam com a participação de oito equipes. Os países estão divididos em dois grupos de quatro. Os dois melhores de cada chave se classificam para as semifinais. Além de Cuba e Canadá, o Brasil enfrentará também a equipe de Porto Rico. O outro grupo tem Argentina, Estados Unidos, Peru e República Dominicana. Os jogos da modalidade (levando em conta também o masculino) seguem até 3 de agosto. A Argentina é a principal adversária do Brasil.

 

 

Da Redação com informações provenientes da rededoesporte.gov.br