Grand Prix de Vôlei 2015: Seleção Brasileira Feminina de Vôlei vence a Bélgica por 3 sets a 0 e segue invicta no Grand Prix

Seleção Brasileira Feminina de Vôlei vence a Bélgica por 3 sets a 0 e segue invicta no Grand Prix
Seleção Brasileira Feminina de Vôlei vence a Bélgica por 3 sets a 0 e segue invicta no Grand Prix

 

 

 

A seleção brasileira feminina de vôlei segue sem perder jogos na edição 2015 do Grand Prix. O Brasil venceu, nesta sexta-feira (17.07), a Bélgica por 3 sets a 0 (25/14, 25/17 e 25/23), em 1h22 de jogo, no Pala Catania, em Catania, na Itália. Foi a oitava vitória do time verde e amarelo em oito partidas na competição. Nesta semana, as brasileiras formam o grupo G com as belgas, as russas e as italianas.

 

 

 

O resultado contra a Bélgica manteve o Brasil na liderança geral do Grand Prix, com 24 pontos. A China segue na segunda colocação com a mesma pontuação do time verde e amarelo, mas com um pior saldo de sets e os Estados Unidos, sede da fase final, estão em terceiro lugar, com 23 pontos.

 

 

 

 

O Brasil voltará à quadra às 15h10 (Horário de Brasília) deste sábado (18.07) contra a Itália. O SporTV e a Band transmitirão ao vivo.

 

 

 

 

A ponteira Natália foi o nome do jogo contra as belgas e terminou a partida como a maior pontuadora, com 17 acertos (15 de ataque, um de bloqueio e um de saque). A ponteira Gabi, com nove, e a oposto Monique, com oito, também contribuíram bem para as brasileiras.
 

 

 

A ponteira Natália comentou sobre a partida contra a Bélgica e fez uma análise do próximo desafio do Brasil no Grand Prix.

 

 

 

 

“Jogamos muito bem os dois primeiros sets e depois demos uma baixada de guarda, o que não pode acontecer. A Bélgica passou a sacar bem e isso dificultou o nosso passe. Acredito que hoje ataquei bem, mas minha recepção ainda precisa melhorar. Cada dia temos que evoluir um pouco e amanhã teremos uma partida difícil contra a Itália. Elas possuem um time alto e experiente. Vamos ter que entrar em quadra concentradas e jogar bem taticamente”, disse Natália.

 

 

 

 

A oposto Monique chamou a atenção para o jogo de amanhã contra a Itália. Para a atacante, essa será a partida mais difícil do time verde e amarelo na terceira semana do Grand Prix.

 

 

 

 

“Nos desconcentramos um pouco no terceiro set e tivemos que correr atrás do placar. Temos que ficar atentas a isso para fecharmos logo as partidas. Esse jogo já passou e agora vamos focar no confronto contra a Itália que tem uma torcida apaixonada e vai jogar em casa. Na minha opinião será o jogo mais difícil para o nosso grupo nessa etapa, mas estamos bem preparadas”, garantiu Monique.

 

 

 

O treinador Paulo Coco falou da importância da partida contra a Bélgica para o desenvolvimento do time brasileiro.

 

 

 

“Aproveitamos os dois primeiros sets que jogamos bem taticamente e concentrados para colocar quase todas as jogadoras em quadra. O terceiro set deixou um pouco a desejar porque perdemos a concentração e o saque não teve a mesma eficiência. Com isso, deixamos a Bélgica jogar. Foi bom que isso aconteceu agora para o time aprender que não pode jogar desconcentrado. O mais importante do jogo de hoje foi que conseguimos ganhar mais ritmo de jogo, além de ajustarmos o time”, afirmou Paulo Coco, que ainda chamou a atenção para o próximo duelo do Brasil no Grand Prix.

 

 

 

“Acredito que amanhã será o principal teste dessa etapa. A Itália está brigando pela classificação, tem um time experiente e vai jogar em casa. Precisamos de um teste como esse para ver qual será nosso comportamento”, finalizou Paulo Coco.

 

 

 

O JOGO

 

 

 

 

Bem no bloqueio e com muito volume de jogo, o Brasil abriu cinco pontos no início da primeira parcial (8/3). Quando o time verde e amarelo fez 9/3, o técnico da Bélgica, Gert Vande Broek, pediu tempo. Depois de um longo rally, o Brasil contou com um erro da Bélgica para fazer 12/5. A ponteira Natália se destacava e as brasileiras abriram dez pontos (16/6). Bélgica faz três pontos seguidos e o treinador Paulo Coco pediu tempo (17/11). A levantadora Roberta conseguiu uma boa sequência de saques e o Brasil fez 22/11. O time verde e amarelo dominou a parcial até o final e venceu por 25/14.

 

 

 

 

O Brasil seguiu melhor no início da segunda parcial e foi para o primeiro tempo técnico do segundo set vencendo por 8/4. Com uma bola de segunda da levantadora Dani Lins, as brasileiras fizeram 10/7. A central Carol conseguiu um lindo ponto de bloqueio e o time verde e amarelo seguiu na liderança folgada do marcador (16/9). As brasileiras administraram a vantagem até o final e venceram o segundo set por 25/17 com uma largada da ponteira Suelle.

 

 

 

 

O terceiro set começou equilibrado (9/9). A Bélgica abriu dois pontos (13/11) e o treinador Paulo Coco pediu tempo. O time europeu segurou a vantagem e foi para o segundo tempo técnico da terceira parcial vencendo por 16/14. Bem no bloqueio e no saque, as belgas abriram cinco pontos (20/15). O Brasil voltou a bloquear bem e deixou tudo igual no placar (20/20). O final da parcial foi emocionante. Com dois pontos seguidos de bloqueio, o Brasil venceu o set por 25/23 e o jogo por 3 sets a 0.

 

 
EQUIPES:

 

 

 

 

BRASIL: Dani Lins, Monique, Natália, Gabi, Juciely e Carol. Líbero – Sassá

Entraram: Roberta, Ivna, Suelle, Mara e Ellen

Técnico – Paulo Coco

 

 

 

BÉLGICA: Heyrman, Leys, Grobelna, Freya, Vandesteene e Ilka. Líbero – Courtois

Entraram: Jasmien, Lorena, Celine e Sarah

Técnico – Gert Vande Broek

 

 

 

 

GRAND PRIX 2015

BANGCOC (TAILÂNDIA)

(03.07) – Brasil 3 x 1 Japão (21/25, 25/21, 25/17 e 27/25)

(04.07) – Brasil 3 x 0 Sérvia (25/20, 25/15 e 25/15)

(05.07) – Brasil 3 x 0 Tailândia (25/18, 25/13 e 25/23)

 

 

 

SÃO PAULO (BRASIL)

(10.07) – Brasil 3 x 0 Bélgica (25/17, 25/16 e 25/14)

(11.07) – Brasil 3 x 1 Tailândia (25/23, 20/25, 25/14 e 25/19)

(12.07) – Brasil 3 x 0 Alemanha (26/24, 25/22 e 26/24)

 

 

 

 

CATANIA (ITÁLIA)

(16.07) – Brasil 3 x 0 Rússia (25/18, 25/14 e 25/17)

(17.07) – Brasil 3 x 0 Bélgica (25/14, 25/17 e 25/23)

(18.07) – Brasil x Itália, às 15h10 (Horário de Brasília)

 

 

 

 
Fonte: Da Redação com informações provenientes de Agências de Notícias e da CBV