Circuito Mundial de Vôlei de Praia 2019 – Etapa de Jinjiang (China): A dupla Ana Patrícia/Rebecca vence Ágatha/Duda e leva a medalha de bronze na China

Ana Patrícia ataca contra bloqueio de Duda na disputa do bronze (Créditos: Divulgação/FIVB)

 

 

 

O Brasil conquistou na madrugada deste domingo (26.05) a medalha de bronze no torneio feminino da etapa quatro estrelas de Jinjiang (China), pelo Circuito Mundial de vôlei de praia 2019. Ana Patrícia e Rebecca (MG/CE) superaram as compatriotas Ágatha/Duda (PR/SE) por 2 sets a 0 (21/19, 21/15), em 31 minutos, e conquistaram um lugar no pódio. Elas lideram a corrida olímpica brasileira, que define as duplas representantes nos Jogos de Tóquio-2020.

 

A medalha de bronze é a terceira na temporada 2019 do Circuito Mundial para Ana Patrícia e Rebecca, que foram campeãs nos torneios de Haia (Holanda) e Xiamen (China), ambos de quatro estrelas. O terceiro lugar em Jinjiang rende uma premiação de cerca de R$ 40 mil, além de 640 pontos à dupla, que agora soma 1.840 na corrida olímpica (veja abaixo as pontuações).

 

 

“Estou muito feliz com essa medalha, é um bronze com sabor de ouro. Fiquei doente no início do torneio e tive que disputar todos os jogos em condições abaixo do ideal, mas felizmente deu certo no final. É uma medalha muito importante na nossa jornada. Além da viagem longa, do fuso horário, foi um torneio de muita força mental, superação, mas a Rebecca e nossa comissão técnica sempre estiveram ao meu lado e isso foi fundamental”, disse Ana.

 

 

 

“Foi um torneio de superação. A viagem é de dois dias, a alimentação é muito complicada e a Ana Patrícia ficou bastante doente. Mas fomos na união, nos superando a cada jogo. Ana estava muito debilitada nas semifinais, mas felizmente se recuperou para jogarmos o bronze, foi guerreira”, disse Rebecca.

 

 

 

Horas antes da disputa do bronze, na semifinal, Ana Patrícia e Rebecca foram superadas pelas australianas Artacho/Clancy por 2 sets a 0 (25/23, 21/14), em 44 minutos. Já Ágatha/Duda acabaram fora da final ao serem derrotadas pelas norte-americanas Kerri Walsh e Brooke Sweat por 2 sets a 1 (21/19, 19/21, 15/13), em 49 minutos de duração.

 

 

 

A quarta colocação de Ágatha e Duda rende ao time 560 pontos no ranking e uma premiação de cerca de R$ 32 mil. Outros três times brasileiros disputaram a etapa: Talita/Taiana (AL/CE) e Carol Solberg/Maria Elisa (RJ) ficaram em quinto lugar, e Fernanda Berti/Bárbara Seixas (RJ) em nono. O próximo desafio das duplas brasileiras acontece já nesta semana, a partir do dia 28 de maio, com a etapa quatro estrelas de Ostrava (República Tcheca).

 

 

 

Na corrida olímpica do Brasil, apenas os eventos de quatro e cinco estrelas do Circuito Mundial, além do Campeonato Mundial, contam pontos no ranking. Cada um com peso correspondente. Além disso, os times poderão descartar as piores participações no tour, contando os 10 melhores resultados obtidos. Só valem os pontos obtidos juntos, como dupla.

 

 

 

A corrida olímpica interna das duplas brasileiras acontece em paralelo à disputa da vaga do país, que segue as regras da Federação Internacional de Voleibol (FIVB). Cada nação pode ser representada por, no máximo, duas duplas em cada naipe.

 

 

 

Os países possuem quatro maneiras de garantir a vaga: vencendo o Campeonato Mundial 2019; sendo finalistas do Classificatório Olímpico, que será disputado na China, também em 2019; estando entre as 15 melhores duplas do ranking olímpico internacional; vencendo uma das edições da Continental Cup (América do Norte, América do Sul, África, Ásia e Europa). O Japão, sede, tem uma dupla em cada naipe já garantida.

 

 

 

CORRIDA OLÍMPICA BRASILEIRA

 

 

 

Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) – 1.840 pontos
Talita/Taiana (AL/CE) – 1.440 pontos
Ágatha/Duda (PR/SE) – 1.440 pontos
Carol Solberg/Maria Elisa – 1.200 pontos
Fernanda Berti/Bárbara Seixas – 1.040 pontos

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da CBV