Circuito Mundial de Vôlei de Praia 2015 – Grand Slam de Moscou: Evandro/Pedro Solberg disputa o ouro e Alison/Bruno Schmidt o bronze no Grand Slam de Moscou.

 Evandro/Pedro Solberg disputa o ouro e Alison/Bruno Schmidt o bronze no Grand Slam de Moscou.
Evandro/Pedro Solberg disputa o ouro e Alison/Bruno Schmidt o bronze no Grand Slam de Moscou.

 

 

 

O Brasil briga por ouro e bronze no primeiro Grand Slam do Circuito Mundial 2015, na Rússia. Neste sábado (30.05), Evandro/Pedro Solberg (RJ) venceu Alison/Bruno Schmidt (ES/DF) nas semifinais do torneio em Moscou e disputarão a primeira final internacional da parceria firmada no final de 2014. Eles encaram os espanhóis Pablo Herrera e Adrián Gavira, enquanto o capixaba e o brasiliense enfrentam os alemães Jonathan Erdmann e Kay Matysik.


A disputa da medalha de bronze começa primeiro e acontece a partir das 9h (de Brasília), enquanto a final masculina será às 12h25, com transmissão AO VIVO do canal SporTV 3. Será o primeiro encontro entre os dois finalistas. Evandro busca o segundo ouro em circuitos mundiais, enquanto Pedro pode conquistar uma etapa internacional pela 18ª vez.

 

 
Já a disputa pelo bronze marca o quinto duelo entre os dois times. Alison e Bruno Schmidt levam vantagem de três vitórias contra uma da dupla alemã. Após a vaga na decisão, Evandro mostrou otimismo em busca da primeira medalha de ouro da dupla no Circuito Mundial.

 

 

 

“Não passa pela nossa cabeça outra cor de medalha que não seja a de ouro. Amanhã vamos entrar com a mesma postura dos últimos jogos, firme e com a cabeça tranquila, para conquistar esse título para o Brasil. A gente veio aqui para isso, e estamos na corrida olímpica pelo mesmo motivo, desfrutar do nosso melhor voleibol”, ressaltou Evandro.

 

 
Para chegar à final, Evandro e Pedro Solberg (RJ) tiveram mais uma vez que superar uma dupla brasileira. O segundo confronto consecutivo entre times do país em Moscou (na fase anterior Pedro Solberg e Evandro superaram Ricardo e Emanuel) começou com as duplas ligadas, alternando pontos e bons momentos no ataque.

 

 

 

Enquanto Pedro Solberg e Evandro se destacavam nos ataques, Alison e Bruno Schmidt se alternavam entre largadas precisas e bons bloqueios. Com tamanho equilíbrio nos fundamentos, o placar mostrava se alternava. Na casa dos 11 pontos, Bruno Schmidt cometeu dois erros não forçados e a dupla carioca abriu a maior vantagem até então, com 13 a 10. A liderança do jogo foi administrada por Pedro Solberg e Evandro, que fecharam a primeira parcial da semifinal em 21/18.

 

 

 

O segundo set apresentou o mesmo panorama do anterior, com Pedro Solberg e Evandro mais contundentes e mantendo a dianteira. Alison e Bruno Schmidt buscaram reverter a desvantagem, que se mantinha constante em dois pontos, e empataram o set em 12 a 12. No entanto, Evandro logo tratou de cravar outra bola na quadra adversária, enquanto Pedro Solberg engatou uma sequência de bloqueios, aumentando a vantagem para 16/12.

 

 

 

 

 

 

Alison cresceu de produção na rede, e a diferença chegou a cair para um ponto. Mas o dia era mesmo dos cariocas. Perfeitos tecnicamente, eles alcançaram dois match points: o primeiro salvo por Alison, e o segundo confirmado por Evandro, que conseguiu potente ataque anotando 21/19 e carimbando a vaga da parceria na decisão.

 

 
Horas antes, ainda no sábado, Alison e Bruno Schmidt (ES/DF) tinham eliminado os holandeses Alexander Brouwer e Robert Meeuwsen com vitória por 2 sets a 0 (21/14, 21/14), em 33 minutos. Já Evandro e Pedro Solberg (RJ) chegaram à semifinal ao derrotarem os campeões olímpicos Ricardo e Emanuel (BA/PR) por 2 sets a 1 (21/17, 17/21, 21/19), em 59 minutos.

 

 
Caso conquistem o título, Evandro e Pedro Solberg somam 800 pontos no ranking do Circuito Mundial e na corrida olímpica, além de receberem um prêmio de 57 mil dólares. Já Alison e Bruno Schmidt podem receber 640 pontos e 32 mil dólares se subirem ao pódio com o bronze. Logo após Moscou, ocorre o Major Series de Porec, na Croácia, de 2 a 6 de junho.

 

 

 

 

Em 2015, o calendário do Circuito Mundial prevê cinco Grand Slams, três Major Series, dez Opens, o Campeonato Mundial e o World Tour Finals, que reunirá apenas os oito melhores times da temporada de cada gênero. Cada torneio possui pontuação e premiação distintas, mas serão distribuídos ao todo mais de 9,6 milhões de dólares.

 

 

 

 

Moscou já foi sede de nove etapas do Circuito Mundial e, desde 2008, recebe um Grand Slam por temporada. O Brasil lidera o quadro de medalhas na Rússia, que também já contou ao longo dos anos com etapas em São Petersburgo e Anapa. São 15 medalhas entre os homens (seis de ouro, quatro de prata e cinco bronzes) e 14 entre as mulheres (cinco de ouro, cinco de prata e quatro de bronze).

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da CBV