Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos 2015: Seleção Brasileira Masculina de Polo Aquático estreia contra a China no Campeonato Mundial de Kazan

Brasil vence o México. BRASIL 22 X 9 MÉXICO.
Seleção Brasileira Masculina de Polo Aquático estreia contra a China no Campeonato Mundial de Kazan

 

 

Com objetivos ambiciosos, a Seleção Brasileira masculina de polo aquático vai estrear nesta segunda-feira, a partir das 4h50min (horário de Brasília) contra a China, no Campeonato Mundial de Kazan, na Rússia. A equipe vem embalada pelas conquistas das medalhas de bronze da Superfinal da Liga Mundial e da prata no Pan-Americano de Toronto. O atacante Felipe Perrone, capitão da equipe e considerado um dos melhores jogadores do mundo, sabe da importância dessa sequência de bons resultados.

 

 
– Cada jogo nesse Mundial é uma final. Vencer na estreia será fundamental para a nossa campanha aqui. A China é um time perigoso e que vem investindo em técnicos estrangeiros e conta com jogadores atuando na Europa. Tem um lado esquerdo muito forte. Mas o Brasil chega aqui com o objetivo de competir e de querer ter um bom resultado. Isso é gratificante por confirmar a mudança de mentalidade e a evolução técnica e tática do grupo – disse Felipe Perrone, que vai para o seu oitavo Mundial, sendo o terceiro pelo Brasil (antes estivera com a Seleção em Fukuoka-2001 e Barcelona-2003), além de cinco pela Espanha (Montreal-2005, Perth-2007, Roma-2009, Shangai-2011 e Barcelona-2013).

 

 

 

“Apesar do currículo, eu ainda sinto um friozinho na barriga antes da estreia. Não dá para ser diferente vendo uma piscina com esta estrutura, e a expectativa de um grande público nos jogos. Sem falar de chegar com o Brasil em um outro patamar, competitivo, e respeitado por todos”.

 

 

 
O goleiro Vinícius Antonelli entendeu o recado do craque do time. “É um jogo decisivo. Aliás, nós vamos pensar a cada desafio, sem fazer projeções sobre possíveis rivais na outra fase. Temos confiança no nosso trabalho porque viemos de duas ótimas competições (Pan-Americano e Liga Mundial). Porém, a China é um time perigoso, que tem jogadores altos e que chutam por cima do bloqueio. É preciso concentração total para sair com a vitória.”

 

 

 

Sendo o único goleiro à disposição do técnico Ratko Rudic, ele garante não sentir a pressão: “Estou preparado para toda a competição. O fato de ser o único goleiro não me deixa mais pressionado. Eu confio no trabalho que vem sendo feito pela comissão técnica. Como disse, queremos fazer história no Mundial. Não podemos perder o foco.”

 

 

 

 
Fonte: Da redação com informações de Agências de Notícias e Eduardo Vieira da CBDA