Campeonato Brasileiro 2018 – Brasileirão: O goleiro Everson celebra primeiro gol pelo Ceará.

O goleiro Everson celebra primeiro gol pelo Ceará. – Foto: Lucas Moraes/Ceará SC

 

 

Na última quarta-feira (5), muitos celulares foram apontados para o gramado do Castelão quando, aos 19 minutos do primeiro tempo, Everson cruzou o campo. O Ceará tinha uma falta próxima à área do Corinthians, e aquela era a oportunidade perfeita para o goleiro brilhar. Com um pé direito calibrado, acertou o ângulo de Walter, abriu o placar e começou a escrever uma história diferente no Vozão.

 

 

— Não teria um estádio melhor para eu fazer esse gol, diante de uma grande equipe. É um gol especial, porque é o meu primeiro com a camisa do Ceará, e junto do nosso torcedor — comentou o goleiro em entrevista ao site da CBF.

 

 

 

 

A inspiração de Everson vem desde as categorias de base e, atualmente, está do lado tricolor do Ceará. Formado no São Paulo, sempre teve Rogério Ceni como ídolo. Hoje técnico do Fortaleza, o maior goleiro artilheiro de todos os tempos ainda é uma referência para ele. Prova disso é o número em sua camisa: 01, como Rogério usava no São Paulo.

 

 

 

 

— Todos sabem da minha idolatria pelo profissional e pelo atleta que foi o Rogério (Ceni). É uma característica que eu procuro levar, de bater falta e trabalhar bem com os pés — confirmou.

 

 

 

O gol de Everson foi o primeiro marcado por um goleiro nesta edição do Brasileirão e pode abrir caminho para uma tradição que esteve sumida do futebol brasileiro. Treinando diariamente, o goleiro do Ceará já teve outras oportunidades na competição, uma delas no palco do grande ídolo. Na 21ª rodada, contra o São Paulo, teve a chance de empatar o jogo nos acréscimos. A cobrança, no entanto, saiu alta demais, e a bola foi para fora. Um destino bem diferente ao que ele deu à redonda diante do Corinthians.

 

 

 

 

Mas o goleiro aproveitou para reforçar que o gol não veio por acaso. Ele só se deu graças a um trabalho antigo de Everson, que, sempre que pode, tenta aprimorar seu toque na bola, seja para sair jogando ou para marcar.

 

 

 

 

— Depois do treino eu costumo bater de oito a dez faltas de cada lado, centralizada, para ter essa precisão no jogo. Foi de um local que eu estava preparado, estava treinado, e consegui acertar minha cobrança — ressaltou.

 

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da CBF