Basquete – NBB: Flamengo ganha do Bauru e garante o Tetra campeonato do NBB, o terceiro seguido.

Flamengo ganha do Bauru e garante o Tetra campeonato do NBB, o terceiro seguido.
Flamengo ganha do Bauru e garante o Tetra campeonato do NBB, o terceiro seguido.

 

 

O Flamengo manteve sua soberania no maior campeonato de basquete do país. Na manhã deste sábado (30/05), a equipe carioca voltou a vencer o Paschoalotto/Bauru na série Final do NBB 7 e conquistou seu terceiro título seguido da competição nacional. Mesmo com forte presença da torcida bauruense no Ginásio Neusa Galetti, em Marília (SP), o time rubro-negro não deu chances aos paulistas, triunfou por 77 a 67 e fechou o confronto decisivo da temporada 2014/2015 do NBB em 2 a 0.

 

 

Além dos títulos das três últimas edições da competição, o Flamengo também foi campeão do NBB 1 e agora é a equipe com mais títulos do campeonato nacional na história. Em sete temporadas disputadas, o clube da Gávea levou a melhor em quatro oportunidades, enquanto que o UniCEUB/BRB/Brasília é o dono dos outros três troféus.

 

 

 
Assim como no Jogo 1, o time do técnico José Neto começou a construir sua vitória no primeiro quarto e abriu 14 pontos de frente (25 a 11). Com muita autoridade, os rubro-negros não deram qualquer chance de reação ao Bauru nas duas parciais seguintes e pouco a pouco foram ampliando a diferença no placar. No último período, os paulistas até chegaram a esboçar uma reação, mas o rubro-negros mostraram autoridade nos minutos finais e venceram.

 

 

 

 

Os destaques individuais do tri e tetracampeão Flamengo no duelo deste sábado ficaram por conta do armador Laprovittola, autor de 19 pontos, sete rebotes e quatro assistências, do ala/pivô Olivinha, responsável por 17 pontos e oito rebotes, e do ala/armador Vitor Benite, que deixou a quadra com 15 pontos e seis rebotes.

 

 

 

 

Do lado bauruense, o principal atleta em quadra foi o ala norte-americano Robert Day, que marcou 23 pontos e foi cestinha da partida, com direito a seis arremessos convertidos da linha de três pontos em nove tentativas (66,7% de aproveitamento). O vice-campeonato conquistado no NBB 7 é a melhor participação bauruense na história da competição nacional.

 

 

 

O jogo

 

 

 

Com uma bola de três pontos certeira de Robert Day logo na primeira posse, Bauru inaugurou o placar. Mas quem mandou no primeiro quarto foi o Flamengo. Sem se incomodar com a forte pressão da torcida bauruense, o time rubro-negro contou com grandes participações de Olivinha, Benite e Laprovittola e um ótimo trabalho defensivo para abrir larga vantagem no placar nos dez minutos iniciais da partida.

 

 

 

No embalo do trio, que marcou 21 dos 25 pontos da equipe na parcial – Olivinha (8), Laprovittola (7) e Benite (6), o clube da Gávea apresentou um ótimo aproveitamento ofensivo durante todo o quarto. Enquanto isso, do outro lado, Bauru teve dificuldades diante da forte defesa flamenguista, acertou apenas cinco dos 21 arremessos de quadra que tentou e não teve forças para acompanhar o ritmo dos rivais. Desta maneira, os visitantes não desperdiçaram a chance e fecharam o período inicial com 14 pontos de frente: 25 a 11.

 

 

 

No início do segundo período, o Flamengo passou a tomar decisões precipitadas e não manteve sua alta produção. No embalo de boas jogadas de Ricardo Fischer, Bauru conseguiu baixar a diferença no placar para dez pontos (32 a 22) e deu mostras de que colocaria fogo no jogo. Mas a tentativa de reação dos paulistas foi interrompida pela dupla de armadores do time carioca. Com cinco pontos seguidos, Benite voltou a ser o protagonista do ataque rubro-negro e Laprovittola acertou uma bola de três pontos no último lance antes do intervalo. Então, com boa participação dos dois jogadores, os comandados de Neto não só esfriaram a reação bauruense como ainda partiram para os vestiários com uma vantagem de 15 pontos: 45 a 25.

 

 

 

O terceiro quarto teve dois protagonistas pelo lado do Flamengo: Olivinha e Marcelinho. Com oito pontos cada, os jogadores lideraram a boa produção rubro-negra na parcial e a vantagem no placar seguiu aumentando. Do outro lado da quadra, a forte defesa carioca continuou forçando os bauruenses a seguidos erros e os donos da casa não conseguiram frear o time rival. Depois de vencer o período por 22 a 14, os representantes do Rio de Janeiro partiram para os dez minutos finais com 23 pontos de frente: 62 a 39.

 

 

 

 

Atrás no placar, Bauru entrou para o último quarto na base do tudo ou nada e conseguiu reagir. Com uma defesa mais pressionada, a equipe do técnico Guerrinha forçou o Flamengo a seguidos erros. No ataque, os baurenses contaram com a mão quente de Robert Day, que acertou quatro bolas de três pontos, e foi fundamental para a diferença no placar cair para 13 pontos (70 a 58), com pouco mais de quatro minutos para o fim.

 

 

 

A rápida reação inflamou as arquibancadas do Ginásio Neusa Galetti e a torcida passou a jogar junto do time paulista. Mas foi então que o Flamengo mostrou porquê é o atual tricampeão do NBB. Com muita autoridade, os rubro-negros seguraram a pressão dos rivais e venceram com autoridade e tranquilidade.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Liga Nacional de Basquete