Basquete: Janeth Arcain é indicada para o Hall da Fama da Federação Internacional de Basquete

Janeth conquistou um título mundial e duas medalhas olímpicas pela seleção brasileira. Foto: Divulgação.

 

 

A ex-jogadora Janeth Arcain, que brilhou pela Seleção Brasileira, clubes nacionais e na WNBA (versão feminina da liga profissional norte-americana), foi uma das 11 celebridades indicadas para integrar o Hall of Fame da Federação Internacional de Basketball (FIBA) na Classe de 2019. O anúncio foi feito pela própria entidade nesta terça-feira (26.03).

 

“Fiquei muito feliz e lisonjeada com este reconhecimento. Estar neste seleto grupo de jogadores brasileiros que já estão no Hall da Fama – Ubiratan Maciel, Hortência Marcari, Oscar Schmidt, Amaury Pasos e Paula Gonçalves – é muito gratificante. Sem contar os demais, de outros países”, comentou Janeth, que, entre outras conquistas, é campeã Mundial e medalhista olímpica com o selecionado nacional.

 

 

 

Foram 24 anos de muita dedicação ao basquete e essa condecoração demonstra que tudo valeu a pena. Eu certamente faria tudo de novo”, complementou Janeth, que viveu grandes temporadas com a camisa do Houston Comets. Ao longo de sua carreira, Janeth defendeu o Higienópolis (SP), BCN (SP), Cica/Divino/Jundiaí (SP), Constecca/Sedox (SP), Leite Moça/Sorocaba, Arcor/Santo André (SP), Vasco da Gama (RJ), São Paulo/Guaru (SP), Houston Comets (WNBA), Unimed/Ourinhos (SP) e Ros Casares Valencia (Espanha).

 

 

 

Pela Seleção Brasileira, Janeth conseguiu esses títulos e colocações honrosas: campeã Sul-americana Sub-19 (Colômbia – 1986); cinco vezes campeã Sul-americana Adulto (Chile – 1989 / Colômbia – 1991 / Bolívia – 1993 / Brasil – 1995 / Brasil – 1999); medalha de ouro nos Jogos Pan–americanos de Havana (Cuba – 1991); campeã Mundial (Austrália – 1994); campeã do Torneio Pré-olímpico das Américas (México – 2003); medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Atlanta – 1996 e medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Sidney – 2000.

 

 

 

Os demais atletas selecionados foram: Margo Dydek (Polônia – póstumo), Atanas Golomeev (Bulgária), Alonzo Mourning (Estados Unidos), Fabricio Oberto (Argentina), Jose “Piculin” Ortiz (Porto Rico), Mohsen Medhat Warda (Egito) e Jiri Zidek (República Tcheca). Já entre os técnicos: Natalia Hejkova (Eslováquia), Bogdan Tanjevic (Montenegro) e Mou Zuoyun (China – póstumo).

 

 

 

A Classe de 2019 será incluída no Hall da Fama da FIBA durante uma cerimônia especial que acontecerá em Pequim, na China, no dia 30 de agosto, na véspera do início da Copa do Mundo. Os novos integrantes serão apresentados no intervalo do jogo de abertura da citada competição, em Pequim, China, no dia 31 de agosto.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes e vinculadas pela Confederação Brasileira de Basquete