São Paulo – Cultura: Museu do Ipiranga receberá R$ 36 milhões para reforma

 

Museu do Ipiranga receberá R$ 36 milhões para reforma – Foto: Divulgação / Museu Paulista

 

Recursos são advindos das empresas EDP, Sabesp e Itaú Cultural

 

 

O projeto de modernização e reforma do Museu do Ipiranga irá receber R$ 24 milhões da Companhia de Abastecimento do Estado de São Paulo (Sabesp) e do Instituto Itaú Cultural. O anúncio foi feito durante reunião promovida pelo Governo de São Paulo e pela USP para a apresentação do projeto a cerca de 100 empresários, realizada no dia 26 de março, no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.

 

 

 

Além dos representantes das empresas, o encontro contou com a presença do governador João Doria; do reitor da USP, Vahan Agopyan; da diretora do Museu, Solange Ferraz de Lima; do secretário estadual de Cultural e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão; do prefeito de São Paulo, Bruno Covas; e outras autoridades estaduais, representantes diplomáticos e dirigentes da Universidade.

 

 

 

Esse investimento, realizado por meio do apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, soma-se ao já feito pela empresa do setor elétrico EDP, também de R$ 12 milhões, a primeira a fechar um contrato com a Universidade para apoiar a obra de recuperação do museu, fechado desde 2013. A obra tem duração prevista de 30 meses e a reinauguração está programada para 2022, ano do bicentenário da Independência do Brasil.

 

 

 

O Museu Paulista, conhecido como Museu do Ipiranga, foi inaugurado em 7 de setembro de 1895 como museu de História Natural e marco representativo da Independência, da História do Brasil e Paulista. Em 1963, o museu foi integrado à Universidade de São Paulo e tornou-se uma instituição científica, cultural e educacional com atuação no campo da História.

 

 

 

Em 2013, o edifício-monumento foi fechado à visitação. As coleções do acervo e os laboratórios foram transferidos para imóveis alugados e especialmente adaptados para esse fim.

 

 

 

Paralelamente, a USP investiu no planejamento estratégico para a captação de recursos para a obra de restauração, estimada em R$ 160 milhões. Além da adequação às normativas atuais de infraestrutura, acessibilidade, segurança e sustentabilidade, o edifício será ampliado em 4 mil metros quadrados. A nova área proporcionará a melhoria dos acessos e fluxos, acolhimento do público e novas facilidades como área de exposições temporárias, auditório, salas para ações educativas, café e loja.

 

 

 

“Hoje, lançamos as cotas para captação de patrocínio. Três grandes empresas aceitaram e assinaram. A EDP, a Sabesp e o Itaú já somam R$ 36 milhões”, destacou o governador João Doria, ressaltando que, ao término da reunião, duas outras empresas já demostraram interesse. “Estamos otimistas, temos que obter R$ 160 milhões, esse é o nosso objetivo e confio que vamos alcançar. O museu e os jardins do museu estarão totalmente recuperados, para, em setembro de 2022, fazermos uma grande celebração dos 200 anos da Independência do Brasil”, afirmou.

 

 

 

Para o reitor Vahan Agopyan, “hoje é um dia importante para o Museu do Ipiranga e marca um passo significativo para o restauro do edifício-monumento, que é um patrimônio da nossa nação e marca um momento único da história brasileira. A USP está muito contente com o apoio e a participação do Governo do Estado para conseguir viabilizar a restauração do museu envolvendo toda a sociedade”.

 

 

 

O presidente da Sabesp, Benedito Braga, comemorou a parceria: “Estamos nos unindo a outras empresas nessa importante iniciativa para celebrarmos a nossa Independência”. Braga também anunciou um projeto para a despoluição do córrego do Ipiranga, localizado próximo ao museu.

 

 

 

“Este momento é cravado de simbolismo, pois temos uma universidade que se oxigena ao se abrir à sociedade para termos esse apoio. Não há o novo sem a memória. Se há uma coisa que pode nos inspirar todos os dias para inovar e para fazermos que esse país avance são os museus brasileiros”, considerou o diretor do Itaú Cultural, Eduardo Saron.

 

 

 

As cotas lançadas no evento são no valor de R$ 12 milhões, Cota Ipiranga, e de R$ 4 milhões, Cota Independência.

 

 

COTA IPIRANGA

(patrocínio principal)

R$ 3 milhões por ano em 2019, 2020, 2021 e 2022 (primeiro semestre)

Utilização da Lei Rouanet; colocação da marca com destaque de patrocinador nas dependências do museu e em todos os materiais e peças de divulgação do projeto; cota de 2000 ingressos em 2022 para distribuição a clientes e funcionários; realização de um evento anual nas dependências do museu; cota de 20 visitas guiadas (com até 10 pessoas); destaque como patrocinador e participação na coletiva de imprensa e no evento de inauguração; possibilidade de usar a marca e a imagem do museu em campanhas e em material de divulgação institucional próprios; cotas de 20 convites para todos os eventos realizados pelo museu; destaque como patrocinador nas ações que acontecerão durante a obra.

 

 

COTA INDEPENDÊNCIA

(apoio)

R$ 1 milhão por ano em 2019, 2020, 2021 e 2022 (primeiro semestre)

Utilização da Lei Rouanet; colocação da marca com destaque de patrocinador nas dependências do museu e em todos os materiais e peças de divulgação do projeto; cota de 100 ingressos em 2022 para distribuição a clientes e funcionários; realização de um evento anual nas dependências do museu; cota de 2 visitas guiadas (com até 10 pessoas) por ano; destaque como apoiador na coletiva de imprensa e no evento de inauguração; cotas de 2 convites para todos os eventos realizados pelo museu; destaque como apoiador nas ações que acontecerão durante a obra.

 

 

Outras formas de adesão – por serviços e doações não filantrópicas – podem ser realizadas.

Contatos

Antonio Lessa
Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo
+11 3339-8023 | +11 94517-3436
[email protected]

Elaine Silva de Brito
Assistente de direção
Museu do Ipiranga/USP
+11 2065-8014 | +11 99818-1777
[email protected]

Da Redação com informações publicadas pelo Jornal da USP