Cultura: Oscar 2017 é marcado por um erro constrangedor no anuncio de melhor filme e também por críticas a Trump.

Oscar 2017 é marcado por um erro constrangedor no anuncio de melhor filme e também por críticas a Trump.

 

 

Com uma gafe histórica no anúncio de melhor filme, o Oscar 2017 foi marcado por surpresas e pela premiação de atores negros – que haviam ficado de fora das indicações do ano passado.

 

 
O ápice da premiação deste domingo (27) foi o anúncio de “Moonlight” como o grande vencedor de melhor filme, derrotando o favoritíssimo “La La Land: Cantando Estações”, que havia vencido todas as maiores premiações do cinema mundial.

 

 

 
No entanto, por alguns minutos, o melhor filme foi o musical.

 

 

 
Isso porque os atores Warren Beatty e Faye Dunaway, que estavam encarregados de anunciar o vencedor, falaram o nome de “La La Land”. Assim, atores e produtores subiram ao palco e, já no terceiro discurso de agradecimento, via-se uma movimentação intensa ao fundo do palco.

 

 

 
Logo depois, um dos produtores informou que o vencedor era na verdade ‘Moonlight’. Então, o apresentador Jimmy Kimmel voltou à apresentação e informou o erro. Beatty explicou o que aconteceu e mostrou o envelope. Nele, estava escrito “Emma Stone por La La Land”.

 

 

 
Ao subirem ao palco, visivelmente desconcertados com a situação, o diretor do filme vencedor, Berry Jenkins, explicou o que aconteceu. “Pedi para ver o envelope, mas não me deram ele imediatamente. Quando pude ler, estava claramente escrito ‘Moonlight’. O fato é que no envelope tinham dois bilhetes”, disse Jenkins.

 

 

 

 
A Price Waterhouse Cooper (PWC), empresa responsável pela auditoria dos envelopes, abriu uma investigação sobre o erro e pediu desculpas pelo ocorrido.

 

 

 

 

“Nós pedimos desculpas sinceras para ‘Moonlight’ e ‘La La Land’, Warren Beaty, Faye Dunaway e todos os telespectadores pelo o que ocorreu durante o anúncio de melhor filme. Os apresentadores receberam por engano o envelope errado, erro que foi imediatamente corrigido assim que descoberto. Estamos investigando o que aconteceu e estamos profundamente decepcionados com o que aconteceu”, escreveu em nota a empresa.

 

 

 

 

 

– Premiação: Apesar de não ter vencido o principal prêmio da noite, “La La Land: Cantando Estações” ganhou seis das 14 estatuetas para o qual foi indicado. O diretor Damien Chazelle levou o de melhor direção, Emma Stone, de fato, ganhou o prêmio de melhor atriz e o filme levou os prêmios de melhor música original, melhor fotografia, melhor design de produção e melhor trilha sonora.

 

 

 
Já ‘Moonlight’ recebeu mais duas estatuetas além do melhor filme: Marhershala Ali ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante e o filme recebeu o prêmio de melhor roteiro adaptado.

 

 
Noite marcada por críticas a Trump

 

 

 

Foram três horas e meia de cerimônia costuradas inteiramente com alfinetadas – diretas e indiretas – ao presidente Donald Trump. O apresentador Jimmy Kimmel já começou a festa pedindo desculpas aos espectadores do mundo inteiro que, segundo ele “agora nos odeiam”. Ao citar a atriz francesa e uma das indicadas ao Oscar, Isabelle Huppert, frisou: “aqui não discriminamos nenhuma nacionalidade”. Kimmel chegou até a mandar um Twitter ao vivo para Trump, a rede social preferida do bilionário.

 

 

 

 

O ator Gael García Bernal foi mais direto. “Como mexicano, como latino-americano, como imigrante trabalhador, sou contra qualquer muro que nos separe”, declarou. Já o diretor iraniano Asghar Farhadi, que recebeu o prêmio de melhor filme estrangeiro por O Apartamento, decidiu não comparecer à cerimônia, “em respeito aos imigrantes banidos dos Estados Unidos”, explicou em carta.

 

 

 

 

O sírio Khaled Khateeb, um dos diretores do documentário vencedor de melhor curta-metragem, Os Capacetes Brancos, foi impedido de comparecer à cerimônia porque teve sua entrada nos Estados Unidos negada pelo serviço de imigração.

 

 

 

 

Confira a lista de vencedores:

 

 

  • Melhor Filme: “Moonlight”
  • Melhor Direção: Damien Chazelle, “La La Land: Cantando Estações”
  • Melhor Atriz: Emma Stone, “La La Land: Cantando Estações”
  • Melhor Atriz Coadjuvante: Viola Davis, “Um Limite entre Nós”
  • Melhor Ator: Casey Affleck, “Manchester à beira-mar”
  • Melhor Ator Coadjuvante: Mahershala Ali, “Moonlight”
  • Melhor Roteiro Original: “Manchester à beira-mar”
  • Melhor Roteiro Adaptado: “Moonlight”
  • Melhor Música Original: “City of Stars”, “La La Land – Cantando Estações”
  • Melhor Fotografia: “La La Land – Cantando Estações”
  • Melhor Documentário de Curta-Metragem: “Os Capacetes Brancos”
  • Melhor Documentário de Longa-Metragem: “OJ: Made in America”
  • Melhor Figurino: “Animais Fantásticos e onde Habitam”
  • Melhor Edição de Som: “A Chegada”
  • Melhor Mixagem: “Até o último homem”
  • Melhor Maquiagem: “Esquadrão Suicida”
  • Melhor Curta-Metragem Animado: “Piper”
  • Melhor Animação: “Zootopia” Melhor Edição: “Até o último homem”
  • Melhor Efeito Visual: “Mogli – O menino Lobo”
  • Melhor Design de Produção: “La La Land – Cantando Estações”
  • Melhor Filme Estrangeiro: “The Salesman” (Irã)
  • Melhor Trilha Sonora: “La La Land – Cantando Estações”.

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da Ansa e da RFI