Cultura – Cinema: Corpo do diretor e cineasta Domingos de Oliveira é sepultado no Rio

Domingos Oliveira produziu filmes como Todas as mulheres do mundo e Barata Ribeiro, 716 (Divulgação/Secretaria de Cultura RJ)

 

 

Na presença de parentes e amigos, foi enterrado hoje (24), no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro, o corpo do ator, diretor e cineasta Domingos de Oliveira, morto ontem (23) em sua casa, no Leblon. Ele faria 83 anos em setembro.

 

 

No cinema, destacou-se pela realização de filmes como Todas as mulheres do mundo (1966), o mais celebrado até hoje, e Barata Ribeiro, 716 (2016), entre outras produções. Oliveira passou mal em casa e não conseguiu esperar pelo socorro médico.

 

 

 

A filha do diretor, Maria Mariana, afirmou que o que fica para ela é a prova de que o pai tinha um espírito muito grandioso, “porque teve o merecimento de morrer em paz, cercado da esposa que ele amava, da neta que ele amava. Ele desmaiou e foi”.

 

 

 

Ela revelou que o pai deixou para a família uma carta, escrita há 20 anos e que foi lida ontem (23), na qual recomendava que os parentes mais chegados fossem se preparando para viver sem ele.

 

 

 

“Dizendo que ele estava preparado para partir. Realmente, tem a dor de não poder ter ele presente. Mas uma alegria também de ele ter partido como queria”, afirmou Maria Mariana.

 

 

 

Velório

 

 

Emociada, ela lembrou que o velório de Domingos Oliveira, no Planetário da Gávea, onde trabalhou durante muitos anos, foi uma festa muito bonita, onde se cantaram músicas de seus filmes e foram declamadas poesias, como ele admirava nos filmes estrangeiros.

 

 

 

“Ele sempre falava: o meu tem que ser assim. Velório Felliniano (numa referência ao cineasta italiano Federico Fellini). E foi (um velório) estilo Domingos de Oliveira”, concluiu a atriz, diretora e escritora.

 

 

 

A atriz Betty Goffman lamentou não ter trabalhado com Domingos Oliveira. “Mas é um mestre. Todos nós somos admiradores, não só da obra, da inteligência, mas da energia boa, de ser uma pessoa boa, cheia de qualidade como ser humano, generoso. Infelizmente, não tive o privilégio de estar tão perto, mas vim aqui dar um tchau, porque era um cara muito importante para todos nós”, opinou.

 

 

 

Nas redes sociais, atrizes como Fabiula Nascimento e Angela Leal lamentaram a morte do diretor. “Nossos corações estão partidos”, disse Fabiula. “A obra e a lembrança desse cidadão impecável ficarão para sempre”, externou Angela Leal.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes e vinculadas pela Agência Brasil