Cultura: A 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental terá 100 filmes programados representando 26 países – 01 a 14/06/2017

A 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental terá 100 filmes programados representando 26 países – 01 a 14/06/2017

 

 

A​ 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, o mais importante evento audiovisual sul-americano dedicado a temas socioambientais, acontece de 1º a 14 de junho, com ingressos gratuitos. A sessão de abertura para convidados será dia 31 de maio. No total, são 100 filmes programados, representando 26 países.

 

 
O festival celebra a Semana Nacional do Meio Ambiente, que acontece na primeira semana do mês de junho e comemora também o Dia Mundial do Meio Ambiente, no dia 5 de junho.

 

 

 

 
Na programação, uma homenagem ao cineasta Vincent Carelli, retrospectiva histórica focalizando a Amazônia no imaginário cinematográfico brasileiro, sessão especial de “Eis os Delírios do Mundo Conectado”, do diretor alemão Werner Herzog, a Competição Latino-Americana (com 32 títulos representando sete países: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, México e Uruguai), a Mostra Contemporânea Internacional (voltada a produções recentes vindas de diversas partes do planeta organizados em sete eixos temáticos: alimentação & gastronomia; cidades; contaminação; economia; mudanças climáticas; povos & lugares; e trabalho) e o Concurso Curta Ecofalante.

 

 
Segue abaixo alguns destaques:

 

 

 

O Suplício: Vozes de Chernobyl -Baseado no livro vencedor do prêmio Nobel “Vozes De Tchernóbil: A História Oral do Desastre Nuclear”, da escritora e jornalista bielorrussa Svetlana Alexievich, o longa-metragem “O Suplício: Vozes de Chernobyl” focaliza o mundo em torno do maior acidente nuclear da história, ocorrido na Ucrânia, em abril de 1986, sobre o qual sabemos muito pouco.
 

 

Astros e estrelas do cinema mundial atuando como narradores em obras inéditas no Brasil, como é o caso da protagonista da saga “Star Wars” Daisy Ridley e Oscar Isaac. Ridley participa de “Uma Caçadora e Sua Águia”, sobre uma garota que está tentando se tornar a primeira mulher de sua família a domar águias, enquanto Isaac é o narrador de “É Hora de Decidir”, que trata dos desafios e soluções mundiais em relações às mudanças climáticas dirigido pelo cineasta premiado com o Oscar Charles Ferguson. A atriz e roteirista Emma Thompson conduz a produção canadense “Até o Fim da Terra” e Rachel McAdams empresta seu talento a “Mar Ensurdecedor”, um alerta para o impacto dos ruídos sobre as baleias que conta também com o músico Sting.

 

 

 

 

“Amanhã”, que tem na direção Mélanie Laurent, premiada atriz de “Bastardo Inglórios” e realizadora do longa “Respire”, eleito como melhor documentário nos prêmios César (o “Oscar” do cinema francês). A obra trata de uma jornada por várias partes do mundo em busca de soluções nos campos da agricultura, energia, economia, democracia e educação.

 

 
“Sonhos Conectados” tem narração da atriz Tilda Swinton e resgata desejos e ansiedades do mundo atual registrados desde mais de cem anos atrás, quando o telefone, o cinema e a televisão eram novidades.

 

 
“Eis os Delírios do Mundo Conectado” – de Werner Herzog – que aborda o mundo virtual, desde as suas origens até os seus maiores desenvolvimentos. O filme mereceu première mundial no importante Sundance Festival.

 

 

 
“Furacão – A Odisséia do Vento” – acompanha o furacão Lucy, desde seu início, como uma tempestade de areia no Senegal, seguindo-o pelo Oceano Atlântico, Porto Rico, Cuba e Louisiana (EUA). (Mudanças Climáticas)

 

 

 
O dinamarquês “Império da Fantasia”- focaliza uma migrante rural chinesa que chega a Chongqing, conhecida como a cidade com o crescimento mais rápido do mundo, e abre uma empresa de “figurantes estrangeiros”, que aumentam a venda de novos empreendimentos. (Cidades)

 

 
“Desejo de Carne” – a apresentadora da TV holandesa e diretora do filme Marijn Frank explora o dilema entre o amor pela carne e os argumentos racionais contra os produtos da indústria de carne. Ela é uma jovem mãe que tenta, mais uma vez, parar de comer carne tornando-se aprendiz de um matadouro e fazendo terapia. O filme, que foi exibido no Festival de Berlim, examina de forma divertida valores morais, hipocrisia e o simbologia ligada à carne.

 

 

 
“Rio da Morte”- curta – exibe algumas das consequências do rompimento da represa de resíduos de minério de ferro, da propriedade da Samarco (uma joint venture dos gigantes de mineração BHP Billiton, da Austrália, e da brasileira Vale), ocorrido em novembro de 2016 em Mariana (MG).

 

 

 

 
“Terminal 3” – curta- se passa durante a construção das grandes obras para a Copa do Mundo FIFA de 2014 e um grupo de 150 homens foi encontrado em situação de trabalho escravo na construção do terminal 3 do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos

 

 

 
“Substantivo Feminino” resgata a história de duas mulheres pioneiras e fundamentais para a militância ambiental no Rio Grande do Sul e no Brasil.

 

 

 

 
“Cheirando Mal” (EUA, 2015), o norte-americano Jon J. Whelan revela, de forma divertida, que alguns produtos em nossas prateleiras simplesmente não são seguros.

 

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da Assessoria de imprensa do Festival – ATTi