Bragança Paulista – Segurança: Proprietário de uma das tradicionais padarias de Bragança foi detido por furto de água da Sabesp

Proprietário de uma das tradicionais padarias de Bragança foi detido por furto de água da Sabesp

 

Na última quinta-feira (11) uma das equipes caça-fraudes da Sabesp flagrou furto de água em uma das mais tradicionais padarias de Bragança Paulista, localizada no Bairro do Taboão. O crime foi constatado durante operação realizada com parceria da Secretaria de Segurança Pública.

 

 

 

O alvo da operação foi a Panificadora 9 de Julho, o proprietário foi conduzido pela Polícia Civil ao 1º Distrito Policial de Bragança Paulista, onde foi autuado pelo crime de furto, tipificado no Artigo 155 do Código Penal, que prevê de um a quatro anos de reclusão. A pena pode subir para até oito anos de cadeia caso haja qualificação – como quando há participação de duas ou mais pessoas ou destruição de equipamentos. O responsável pelo estabelecimento deverá realizar também o pagamento retroativo pela água consumida. Após o pagamento de fiança o dono da padaria foi liberado.

 

 

 

 

A Sabesp acompanha continuamente o histórico de consumo de seus clientes. No caso do flagrante de ontem, o estabelecimento apresentava nos últimos meses média de consumo menor do que o normal para este tipo de comércio. Durante a vistoria, foi constatada uma manipulação no hidrômetro que impedia o registro correto do volume consumido. A estimativa é que tenham sido furtados 2 milhões de litros de água nos últimos 12 meses. A quantia seria suficiente para abastecer todo o município de Nazaré Paulista por um dia.

 

 

 

 

 

Esse tipo de fraude prejudica toda a população. Quem comete o crime de furto de água não se preocupa com o desperdício, pois acredita que não vai pagar pelo alto consumo. É comum entre fraudadores deixar torneiras abertas e não consertar vazamentos. Em casos de irregularidade, os proprietários ou representantes dos imóveis são convocados para prestar esclarecimentos para a polícia, com respectiva abertura de inquérito para investigar os responsáveis pelo furto de água.

 

 

 

 

Para identificar esse tipo de crime, a Sabesp trabalha com as equipes de caça-fraude, que acompanham o consumo e vistoriam os imóveis. Além disso, conta com a colaboração dos próprios moradores, que podem relatar casos suspeitos pela Central de Atendimento (195) ou pelo Disque-Denúncia (181). A chamada é gratuita e não exige a identificação de quem telefona.

 

 

Da Redação com informações provenientes da Sabesp