Bragança Paulista – Política: Vereador Marcus Valle critica rescisão de contrato de reforma do antigo Colégio São Luiz

Vereador Marcus Valle critica rescisão de contrato de reforma do antigo Colégio São Luiz
Vereador Marcus Valle critica rescisão de contrato de reforma do antigo Colégio São Luiz

 

 

O vereador Marcus Valle comentou, na última sessão da Câmara Municipal (25/9), a rescisão de contrato entre a Prefeitura e a empresa responsável pelas obras de reforma e restauração do antigo Colégio São Luiz. Marcus teme que a demora para realização de uma nova licitação prejudique ainda mais a situação do prédio.

 

 

“Acho que em Bragança se confunde o termo tombamento. Tombamento é o termo que se usa para imóveis conservados. O Colégio São Luiz está tombado, e vai ser tombado no sentido popular se continuarmos assim. Simplesmente parou tudo lá, agora está totalmente abandonado. Está desfeito o contrato com a empresa que estava realizando as obras. Desse jeito vamos ‘tombar o imóvel tombado’. Até abrir outra licitação demora. Eu já tinha alertado que não via ninguém naquela obra, feito pedidos de informação. Estou cobrando essa questão”, disse.

 

 

 

 

Marcus seguiu sua manifestação comentando outras situações. O vereador explicou que protocolou um pedido de informações sobre uma estrada que liga o Aeroclube ao Aeroporto. “É um caminho de 300 m há anos usado pelas pessoas e que agora foi fechada por um loteamento”, explicou.

 

 

 

 

No pedido de informações ele questiona ao Executivo se a via é oficial, e, caso não seja, se não se caracterizaria como estrada de servidão, já que há muitos anos é utilizada. Além disso, pergunta se a Prefeitura tem conhecimento do fechamento da estrada e se alguma providência será tomada.

 

 

 

O vereador comentou ainda a atuação da Câmara para que o DER (Departamento de Estradas de Rodagem) tomasse providências em relação ao acesso do bairro Vista Alegre, com a notícia de que irá instalar lombadas no trecho. “Vi com satisfação essa notícia. A princípio o DER alegava que não podia fazer, falei que podia. Não é a solução ideal, o melhor seria o retorno, mas para o momento é suficiente. Espero que se torne realidade. É importante ver a repercussão da Câmara nesse caso. O vereador Tião levantou o problema, eu comentei, outros vereadores também e essas repercussões geram o atendimento da demanda”, concluiu.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes do Departamento de Comunicação Institucional da Câmara Municipal de Bragança Paulista