Bragança Paulista – Política: Secretaria do Meio Ambiente de Bragança orienta sobre a convivência com animais silvestres

Secretaria do Meio Ambiente de Bragança orienta sobre a convivência com animais silvestres
Secretaria do Meio Ambiente de Bragança orienta sobre a convivência com animais silvestres

 

 

A Prefeitura da Estância de Bragança Paulista, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, vem promovendo ações em prol da fauna silvestre, da conscientização sobre a convivência com esses animais e da preservação da biodiversidade considerando o cenário atual de coexistência entre o homem e diversas espécies que integram os ecossistemas locais.

 

 

Sabendo que os animais silvestres sofrem com a expansão dos centros urbanos e com a perda do seu habitat natural, ficando cada vez mais expostos e sujeitos aos conflitos naturais com o ser humano, e que o resultado desses conflitos pode ser perigoso, e até fatal, para alguns deles, a Administração Municipal avançou em programas para a proteção e reabilitação da fauna silvestre.

 

 

 

 

A Prefeitura firmou termo de colaboração, concretizado entre a Secretaria do Meio Ambiente e a Associação Mata Ciliar, para a realização de ações conjuntas de proteção e reabilitação da fauna silvestre, bem como, um programa de educação ambiental para as escolas do município. A Administração Municipal reconhece o trabalho desenvolvido pela entidade com diversas ações para a conservação da biodiversidade através do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) e do Centro para Conservação dos Felinos Neotropicais (Centro de Felinos).

 

 

 

 

Sendo assim, os animais silvestres resgatados na cidade, quando necessário, são encaminhados para o CRAS da Associação, em Jundiaí/SP, que tem por objetivo receber os animais, prestar atendimento veterinário e, após o processo de reabilitação, realizar a soltura destes no ambiente natural.

 

 

 

O diferencial desta colaboração está na incorporação da Educação Ambiental no programa de colaboração como a principal ferramenta de mudança para um futuro socioambiental sustentável. O objetivo é atender alunos das escolas da rede municipal de ensino. O programa conta com uma série de atividades instrutivas como visita monitorada, palestras, jogos ambientais e teatros interativos, que ajudam a criança e o jovem a despertarem a conscientização ambiental desde cedo. Algumas atividades já estão sendo executadas junto aos alunos do município.

 

 

 

A Administração sabe que muitas ações precisam ser desenvolvidas para colaborar com o equilíbrio entre o desenvolvimento sustentável e a preservação do meio ambiente na cidade. Dentre elas, desenvolver e implantar políticas públicas para recuperar as áreas degradadas pela expansão urbana é um dos principais objetivos a fim de promover a coabitação entre as espécies num ambiente sustentável para todos.

 

 

 

 

Muitas espécies de animais acabaram se adaptando às condições de vida impostas pelas cidades, aprendendo a aproveitar ao máximo a abundância de alimentos, de abrigos e nichos ecológicos, a ausência de predadores e a maior tolerância por parte das pessoas à presença deles, o que acaba por contribuir com a permanência delas no meio urbano.

 

 

 

 

Nesse sentido, as unidades de conservação do município, como os Parques Municipais Petronilla Markowicz, Refúgio das Aves, Lagos dos Padres e a ARIE Bosques das Araucárias, desempenham um papel importante na perpetuação da diversidade biológica.

 

 

 

 

Dentre os animais de maior ocorrência na cidade são as capivaras, os gambás (marsupiais), ouriços, morcegos, esquilos, diversos primatas (saguis, bugios, entre outros), alguns répteis e aves. Animais que acabam por integrar uma fauna urbana limitada aos fragmentos de florestas espalhados pela cidade, com movimentação dos grupos e migrações bem restritas.

 

 

 

 

A Secretaria do Meio Ambiente ressalta que a solução para os conflitos decorrentes da convivência desses animais com os humanos não está no extermínio nem na remoção aleatória dos animais, mas na harmonia e no respeito, além do conjunto de ações de estão sendo adotadas. Considerando que o homem acabou por invadir o espaço natural desses animais.

 

 

 

Cabe ressaltar algumas atitudes que podem ajudar na convivência junto aos animais silvestres. A orientação quando alguém encontrar um animal silvestre é nunca tentar capturá-lo, pois ele pode reagir de forma agressiva caso se sinta ameaçado, e se ele não estiver ferido, apenas deixar sua passagem livre para que ele fuja; Caso o animal esteja ferido ou preso em algum local entrar em contato com a Guarda Civil Municipal, a Polícia Militar Ambiental, o Corpo de Bombeiros ou com a Secretaria do Meio Ambiente para uma ação de manejo.

 

 

 

 

Algumas medidas propostas no guia de fauna disponibilizado pela Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo podem ser adotadas para evitar a atração de animais nas residências. São elas: depositar adequadamente o lixo, evitando sua exposição; armazenar adequadamente os alimentos, inclusive os dos animais domésticos; impedir o acesso a fontes de água; impedir acesso a potenciais abrigos e/ou locais onde se possa fazer ninhos; e não oferecer alimentos aos animais.

 

 

 

 

Para orientações a respeito da fauna silvestre a Secretaria Municipal do Meio Ambiente está à disposição no endereço Rua Albino Dantas, Parque Luiz Gonzaga da Silva Leme (Jardim Público), pelo e-mail [email protected], ou pelo telefone (11) 4034-6780.

 

 

 

 

Da Redação com informações do DIMP/BP