Bragança Paulista – Política: Prefeitura desapropria propriedade com lago urbano para poder implantar Reservatório de Detenção de Cheias

Prefeitura desapropria propriedade com lago urbano para poder implantar Reservatório de Detenção de Cheias – Foto: Divulgação/Google Maps

 

 

Conforme declaração do Prefeito Jesus Chedid, a prioridade absoluta da Administração para os próximos anos da gestão está no enfrentamento às enchentes que assolam a cidade e causam transtornos à população. Como divulgado, serão três frentes de trabalho: as obras de contenção do assoreamento na região do Lago do Taboão e construção de bacias de contenção; a desobstrução dos ribeirões e limpeza dos bueiros; e o trabalho para o financiamento de 30 milhões do projeto de macrodrenagem do município.

 

 

Integrando essas linhas de atuação da Administração, o Prefeito Jesus Chedid assinou o Decreto nº2866/2019, que declara que utilidade pública, para fins de desapropriação, a área de pouco mais de 6 mil m² situada no cruzamento da Rua Francisco Luigi Picarelli com a Avenida Salvador Markowicz. O objetivo é implantar no local, onde já existe um lago, o Reservatório de Detenção de Cheias. O primeiro que a Administração pretende implantar dentre outros que estão em estudo.

 

 

 

Após as tratativas da Administração para efetivar a desapropriação da área, o plano é aumentar a profundidade do lago, consequentemente, expandindo sua capacidade de retenção de águas pluviais de fortes precipitações, que serão liberadas numa vazão menor para o sistema que integra o Córrego do Taboão.

 

 

 

Cabe ressaltar que a Prefeitura também iniciou o processo licitatório para a contratação de empresa especializada na implantação de sistema de proteção contra o assoreamento do Lago do Taboão com a execução da Bacia de Sedimentos S2, Caixa de Contenção S3 e Vertedouro. A Tomada de Preço 01/2019 terá sua sessão aberta às 9h30 do dia 31 de janeiro.

 

 

A população pode constatar o grave assoreamento nos lagos municipais localizados na zona central do município, sobretudo no principal lago paisagístico e contemplativo, o Lago do Taboão – cartão-postal da cidade. Esse lago é formado por um barramento no leito do Córrego do Taboão, cuja bacia, por ação das chuvas, vento e das ações antrópicas tem erodido e ocasionado o carreamento de sólidos, principalmente retirados dos solos, para o leito do córrego, que, ao chegarem no lago existente acabam por sedimentar e assoreá-lo.

 

 

 

Para conter esse assoreamento que a Administração pretende construir Bacias de Retenção e Sedimentação dos Sólidos adequadas para que possam ser periodicamente limpas sem que permitam a passagem dos sólidos para o Lago do Taboão. Essas bacias de sedimentação e retenção de sólidos foram projetadas em locais adequados, sem interferências nas construções existentes, áreas verdes instituídas de loteamentos, e, evitando-se supressão de vegetação desnecessariamente.

 

 

Serão construídas a Bacia de Sedimentos na cabeceira Sul (altura da padaria denominada Padoka) e a Caixa de Contenção na altura da rotatória São Francisco, além das adequações nas comportas da cabeceira Norte (travessia sob a Rua Arthur Siqueira).

 

 

Da Redação com informações do DIMP/BP