Bragança Paulista – Política: “Fortalecimento da Articulação do fluxo de atendimento da violência da mulher” é tema de reunião com diversos segmentos da sociedade Bragantina.

“Fortalecimento da Articulação do fluxo de atendimento da violência da mulher” é tema de reunião  com diversos segmentos da sociedade Bragantina.
“Fortalecimento da Articulação do fluxo de atendimento da violência da mulher” é tema de reunião com diversos segmentos da sociedade Bragantina.

 

 

Na manhã da última quinta-feira (27/09), a Administração Municipal participou de uma reunião com a Promotora de Justiça Dr. Ana Maria Buoso e diversos segmentos da sociedade com o tema “Fortalecimento da Articulação do fluxo de atendimento da violência da mulher”.

 

 

O encontro contou com mais de 60 pessoas e teve como objetivo dar sequência aos trabalhos de capacitação sobre o atendimento e proteção à mulher vítima de violência realizado em abril deste ano pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Ação e Desenvolvimento Social (SEMADS), em parceria com a Coordenadoria de Políticas para Mulheres.

 

 

 

 

A promotora falou da importância do trabalho articulado e do desenvolvimento de políticas públicas em diversas áreas para fortalecer o trabalho. “As pessoas têm que entender que a violência não é só contra a mulher. Quando se pratica violência contra a mulher, pratica-se violência contra a família, contra a criança, o adolescente, o idoso, a pessoa com deficiência e também contra o homem, que muitas vezes também foi vítima de agressão”, explica. A proposta é que o município se prepare para atender essas pessoas de forma integrada, para que sejam vistas, ouvidas e atendidas de forma global, seja pela assistência social, pela educação, pela polícia.

 

 

 

 

Entre os trabalhos da Administração frente ao tema, foi falado sobre o Projeto Guardiã Maria da Penha. “É uma satisfação participar desse projeto, temos uma evolução constante e conseguimos adequar uma equipe específica para o trabalho”, explica o Secretário de Segurança e Defesa Civil, Alexsandro Olegário da Silva.

 

 

 

 

O município conta com cerca de 50 mulheres cadastradas e atendidas pelo projeto. As vítimas recebem visitas periódicas dos guardas civis municipais, sempre com uma guarda do sexo feminino, e procuram saber se o agressor tentou contato, orientam sobre segurança e garantem o cumprimento das medidas protetivas. As vistorias constantes são necessárias para prevenir, combater, monitorar, orientar e promover o acolhimento humanizado às vítimas de violências física, psicológica, sexual, moral e patrimonial.

 

 

 

 

Em Bragança Paulista, existem serviços gratuitos de apoio à mulher vítima de violência doméstica: Ministério Público (MP), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS), Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), Conselho Tutelar, Pronto Socorro e Unidades de Pronto Atendimento (UPA). Os telefones que as mulheres podem utilizar são: 153 – Guarda Municipal; 190 – Polícia Militar e 180 – Disk Denúncia Atendimento Nacional.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes do DIMP/BP