Bragança Paulista – Política: Desassoreamento e revitalização do entorno do Lago da Hípica será realizado, é o que afirma o Executivo Bragantino

Desassoreamento e revitalização do entorno do Lago da Hípica será realizado, é o que diz o Executivo Bragantino

 

 

A novela do desassoreamento e revitalização do entorno do Lago da Hípica tem mais um capítulo, situação que se arrasta a anos, e que em inúmeras vezes teve seu fim anunciado e nada ocorreu, possivelmente terá um final feliz. A atual administração Municipal divulgou que a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – Sabesp iniciará dentro de 60 dias as obras para o desassoreamento do Lago da Hípica, pondo fim ao imbróglio instaurado na cidade há mais de uma década sobre o assunto.

 

 

O problema vinha se arrastando desde 2005 com o Inquérito Civil instaurado pelo Ministério Público, gerando a Ação Civil Pública em questão. Quem mais sofre com a situação do lago são, principalmente, os moradores do bairro Hípica Jaguari e adjacentes, ao mesmo tempo toda a população bragantina com o comprometimento de um Lago importante para o sistema hídrico da cidade e, consequentemente, todo o Meio Ambiente.

 

 

 

Segundo informações a Sabesp iniciará as obras para o desassoreamento do Lago dentro de 60 dias e, de imediato, caberá à Prefeitura de Bragança Paulista, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, definir o local de destinação dos sedimentos que serão retirados. As obras deverão ser concluídas em 10 meses.

 

 

A Administração Municipal irá revitalizar do local que deverá se tornar uma grande área de lazer à população.

 

Lago da Hípica uma novela que se arrasta a mais de uma década.

 

Histórico – O local é objeto de uma batalha judicial iniciada com o Inquérito Civil inaugurado pelo Ministério Público em novembro de 2005, visando compelir os responsáveis a reparar os danos pelo assoreamento do Lago da Hípica.

 

 

 

Na Ação Civil posteriormente proposta, o MP apontou como responsáveis a SABESP pelo lançamento do lodo oriundo da sua Estação de Tratamento de Águas no Jardim Santa Lúcia e a Prefeitura pelas erosões das ruas sem revestimento dos Loteamentos Hípica Jaguari, Jardim do Cedro, Conjunto Habitacional CDHU e obras de pavimentação da Rua Alziro de Oliveira.

 

 

 

Desde então, o Processo teve inúmeros andamentos, inclusive com acordos firmados e não cumpridos, o que resultou na sentença judicial, (13 anos depois) datada de 07/02/18, que julgou parcialmente PROCEDENTE a ação, para o fim de determinar que SABESP e PREFEITURA executem a recuperação e de impedimento de assoreamento do Lago da Hípica, conforme as obrigações apontadas no laudo apresentado pelo perito, cujo mesmo concluiu que a responsabilidade de 80% pela recuperação é da Sabesp que durante 30 anos carreou lodo da ETA para o lago e os outros 20% de responsabilidade é da Prefeitura em razão da erosão das ruas adjacentes.

 

 

Da Redação baseado em informações provenientes do DIMP/BP