Bragança Paulista: Guarda Civil Municipal flagra furto no Banco do Brasil em Bragança

Rômulo Pereira da Silva Ribeiro, de 36 anos, acusado de furtar uma idosa de 75 anos, na agência do Banco do Brasil, no centro.

 

Na manhã desta sexta-feira, 13 de janeiro, durante fiscalização de rotina no centro da cidade, guardas civis municipais flagraram um furto nas dependências do Banco do Brasil, na Praça José Bonifácio. Um indivíduo foi detido, encaminhado para a sede do Plantão Policial e preso em flagrante por furto

 

 

 

 

Guardas realizavam fiscalização de rotina na Praça Raul Leme quando populares indicavam um suspeito correndo que havia acabado de praticar um furto no Banco do Brasil, viram a gerente do banco sair correndo apontando dois homens. Houve perseguição, conseguiram deter um deles, que resistiu a abordagem. Quando levado para a viatura, foi identificado como Rômulo Pereira da Silva Ribeiro, 36 anos.

 

 

 

 

 

Ele alegou que era de São Paulo e que estava na cidade para fazer uma pesquisa, mas não existiam provas que comprovassem a afirmação. A vítima, uma idosa de 75 anos, reconheceu o indivíduo, disse que ele estava na área dos caixas eletrônicos acompanhado por um segundo suspeito, de traços orientais, que se aproximou afirmando que ela fazia a operação errada no caixa, pegou seu cartão e realizou o saque no valor de R$1.380,00 em várias notas de cinquenta reais, se juntou a Rômulo e a um terceiro indivíduo e saíram da agência. Nesse momento a vítima começou a pedir ajuda.

 

 

 

 
O celular de Rômulo foi apreendido e através dele foi possível reconhecer o segundo autor do crime, o japonês, no seu perfil social do Facebook. Na revista pessoal foi encontrado com Rômulo 450 reais em notas de cinquenta, indicando que a quantia furtada foi divida em três partes. Consultando antecedentes criminais foi constatado que Rômulo era reincidente em práticas criminosas, ele não colaborou com as investigações ou ajudou a identificar seus comparsas.

 

 

 

 

As imagens do circuito de vigilância do banco foram solicitadas e as evidências não deixam dúvidas da existência de um trio criminoso especializado em furtos em agências bancarias do interior. As investigações terão prosseguimento pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) para identificação dos demais envolvidos.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Divisão de Imprensa Bragança Paulista