Bragança Paulista – Cidadania: Administração Municipal de Bragança proporcionou passeio para crianças e jovens atendidos por projeto social

Administração Municipal de Bragança proporcionou passeio para crianças e jovens atendidos por projeto social

 

 

A Administração Municipal, por meio da Secretaria de Ação e Desenvolvimento Social, preparou um grande surpresa para as crianças e jovens atendidos no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), um passeio até o Acampamento Timbalaia recheado de atividades que foi realizado no dia 07/11/2018.

 

 

Foram mais de 60 crianças e adolescentes no passeio cultural e recreativo que ofertou novas formas de convivência e inclusão. A Administração do Prefeito Jesus Chedid e Vice Amauri Sodré faz questão de proporcionar atividades diversas para todas as idades e todos que participem dos projetos sociais a fim de estimular o lazer saudável e a integração entre todos.

 

 

 

 

O Acampamento Timbalaia está localizado em Mairiporã-SP, num remanescente da Mata Atlântica, com estruturas de esportes, lazer, acomodações e diversão para todas as idades, como: futebol de sabão, cinema na caverna, falsa baiana, giro radical, trilha, complexo aquático, campo de futebol, pebolim humano, tirolesa, touro mecânico, escalada, cama elástica, slackline, vôlei, espirobol, refeitório para alimentação e muito mais.

 

 

 

 

O SCFV é um serviço da Proteção Social Básica do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) que é ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias realizado por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (PAEFI).

 

 

 

 

O serviço continuado da assistência social realiza atendimentos em grupo, atividades artísticas, culturais, de lazer e esportivas, dentre outras, de acordo com a idade dos usuários. É uma forma de intervenção social planejada que cria situações desafiadoras, estimula e orienta os usuários na construção e reconstrução de suas histórias e vivências individuais, coletivas e familiares.

 

 

 

Podem participar crianças, jovens e adultos; pessoas com deficiência; pessoas que sofreram violência, vítimas de trabalho infantil, jovens e crianças fora da escola, jovens que cumprem medidas socioeducativas, idosos sem amparo da família e da comunidade ou sem acesso a serviços sociais, além de outras pessoas inseridas no Cadastro Único.

 


 

 

Da Redação com informações provenientes do DIMP/BP