Tecnologia: Bicudo-do-algodoeiro é tema de encontro em Brasília

O bicudo-do-algodoeiro é uma praga de difícil controle e tem trazido sérios prejuízos aos produtores - Foto: José Ednilson Miranda
O bicudo-do-algodoeiro é uma praga de difícil controle e tem trazido sérios prejuízos aos produtores – Foto: José Ednilson Miranda

 

 

Pesquisadores, consultores, representantes das agências de defesa agropecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e das entidades ligadas à cotonicultura se reunirão na próxima sexta-feira (8), em Brasília, para discutir sobre o bicudo-do-algodoeiro (Anthonomus grandis), praga de difícil controle e que tem trazido sérios prejuízos aos produtores. O workshop sobre o Bicudo-do-Algodoeiro será promovido pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão e tem por objetivo alinhar as ações que estão sendo realizadas em cada Estado para elaboração de uma campanha nacional de combate à praga. “Queremos atuar mais intensamente para conscientizar os produtores sobre as medidas de combate que devem ser tomadas”, afirma o presidente da Abrapa, João Carlos Jacobsen Rodrigues.

 

 

 

O workshop acontecerá no Hotel Comfort Suítes Brasília, das 9h às 18h. A abertura será realizada pelo engenheiro agrônomo Paulo Eduardo Degrande, professor titular da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD-MT). Em seguida, será apresentada uma retrospectiva do workshop promovido pela entidade em 2010 sobre o mesmo tema. Os coordenadores de projetos estaduais de combate ao bicudo participarão de um painel onde apresentarão um raio X da incidência da praga nas últimas quatro safras em suas respectivas regiões. Os dados fazem parte de projetos desenvolvidos pelas associações de produtores de algodão de Mato Grosso, Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Maranhão, Piauí e Paraná.

 

 

No período da tarde, estão programados mais quatro painéis, iniciando com o Painel de Pesquisadores, do qual participarão o chefe-geral da Embrapa Algodão, Sebastião Barbosa, o entomologista José Ednilson Miranda, também da Embrapa Algodão, e o pesquisador aposentado do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Walter Jorge dos Santos. No Painel de Consultores, estão confirmadas as presenças de Evaldo Takizawa (MT) e Celito Breda (BA), que abordarão as dificuldades de combater corretamente o bicudo nas suas regiões; medidas corretas e viáveis de controle da praga; nível de adoção de suas recomendações e as razões dos fracassos de controle.

 

 

 

No terceiro painel, representantes das Agências de Defesa Agropecuária apresentarão os procedimentos adotados pelo setor para o combate do bicudo e o grau de atuação do Poder Público no cumprimento das normas de combate à praga. No quarto e último painel os técnicos do Mapa, apresentarão os resultados do Programa Nacional de Controle do Bicudo (Portaria de 2005) e suas ações para minimizar os problemas causados pela praga nos últimos 12 anos.

 

 

 

“Nosso intuito é, ao final da reunião, com a participação de todos, estabelecer um Plano de Ações para conter a praga, detalhando o quê fazer, quem vai fazer, quando e como será feito, etc. Vamos incorporar essas estratégias à grande campanha nacional, visando à redução dos graves problemas causados pelo bicudo-do-algodoeiro nas lavouras de diversas regiões do país”, declara o presidente da Abrapa.

 

 

 

Com informações da Assessoria de Imprensa e Comunicação da Abrapa – Edna Santos – Embrapa Algodão