Tecnologia: Alunos da Udesc estão desenvolvendo veículo que anda 150 quilômetros com um litro de gasolina.

Veec atingiu marca de 121 quilômetros rodados com um litro de gasolina na edição do ano passado - Foto: Divulg.
Veec atingiu marca de 121 quilômetros rodados com um
litro de gasolina na edição do ano passado – Foto: Divulg.

 

 

Um grupo de dez estudantes do curso de Engenharia de Produção – Habilitação em Mecânica do Centro de Educação do Planalto Norte (Ceplan), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em São Bento do Sul, está montando um veículo que consiga rodar 150 quilômetros com somente um litro de gasolina.

 

O veículo participará da 12ª edição da Maratona da Eficiência Energética, que será realizada de 27 de julho a 2 de agosto, no Kartódromo Ayrton Senna, na cidade de São Paulo. Essa será terceira vez que a equipe Veículo de Eficiência Energética (Veec), da Udesc Planalto Norte, disputará a competição, que premia veículos capazes de rodar o maior número possível de quilômetros com menos combustível.

 

 

 

Em 2013, o protótipo conseguiu rodar 97 quilômetros com um litro de combustível e, em 2014, alcançou 121 quilômetros, obtendo o 16º lugar entre os 38 participantes na categoria “Gasolina”.

 

 

 

Para alcançar a meta de 150 quilômetros, os acadêmicos estão realizando mudanças na transmissão, no chassi e nos pneus, além de fazer seguidos testes para aumentar o rendimento. De acordo com a aluna Maiara Bueno de Lacerda Spitzner, que conduzirá o triciclo pela segunda vez, 80% do novo protótipo já está montado. Ele pesa em torno de 23 quilos e será transportado para São Paulo em um veículo adaptado.

 

 

 

Maiara garante que pilotar o triciclo não é difícil, principalmente porque há restrições de velocidade durante a competição, limitada a 35 quilômetros por hora.

 

 

Falta de patrocínio

 

 

 

Segundo o professor Ernesto Garbe, que coordena o projeto ao lado do professor Altair Carlos da Cruz, há um acentuado otimismo por parte dos estudantes em atingir a meta de 150 quilômetros por um litro de combustível. “Eles estão bastante empenhados nesta meta”, ressaltou. “O principal objetivo não é somente montar o veículo, mas despertar nos alunos o espírito de equipe, de vivência, além do aprendizado. Eles precisarão disso quando trabalharem numa empresa”, acrescentou Garbe.

 

 

O docente da Udesc Planalto Norte admitiu, porém, dificuldades na montagem do veiculo por falta de patrocínio. “Até agora, quatro empresas mostraram interesse em ajudar e esperamos que elas confirmem essa ajuda”, observou. Quem quiser apoiar a equipe pode entrar em contato pelos telefones (47) 9986-0113 (Felipe) e (47) 9605-2203 (Maiara), pelo e-mail [email protected] e pela página do Facebook.

 

 

Interesse da indústria de automóveis

 

 

 

Cerca de 60 veículos competirão na maratona movidos a gasolina, álcool e eletricidade. Na etapa de 2014, alguns protótipos chegaram a alcançar 400 quilômetros com um litro de gasolina. O professor Garbe conta que o elevado rendimento desses veículos está despertando o interesse da indústria automobilística em copiar e adaptar a tecnologia para a produção comercial.

 

 

“No ano passado, empresas como a Fiat e a Renault patrocinaram alguns veículos competidores, o que prova que estão interessadas nesta tecnologia”, destacou.

 

 

Sobre o evento

 

 

 

A competição entre estudantes de Engenharia que constroem veículos para eficiência energética, chamados de “Supermileage” (designação da nomenclatura SAE), iniciou em 1983, nos Estados Unidos. A partir de 2004, a Maratona da Eficiência Energética passou a ocorrer também no Brasil.

 

 

O projeto busca propor ideias inovadoras a partir da utilização de materiais naturais, reutilizáveis e sustentáveis, além de permitir a troca de experiências com outras instituições de ensino, o trabalho em equipe e a preparação dos acadêmicos para o mercado de trabalho.

 

 

Os vencedores da maratona ganham prêmios que vão desde equipamentos para os laboratórios das instituições onde estudam até um carro zero quilômetro.

 

 

 
Da Redação com informações de Valmor Pizzetti da Assessoria de Comunicação da Udesc