Saúde: Sistema de frequência devolve qualidade de ensino a pacientes com problemas auditivos

Sistema de frequência devolve qualidade de ensino a pacientes com problemas auditivos
Sistema de frequência devolve qualidade de ensino a pacientes com problemas auditivos

 

 

O Serviço de Reabilitação Auditiva do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) já entregou 94 equipamentos de Sistema de Frequência Modulada Pessoal, desde 2014. A iniciativa permitiu que crianças e adolescentes, em idade escolar, fossem contempladas com o material, conhecido popularmente por Sistema FM.

 

O aparelho, usado em sala de aula, consiste em um transmissor (utilizado pelo professor) e um receptor (pequeno dispositivo instalado junto a prótese auditiva). O novo equipamento, disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), diminui o ruído de fundo e permite ao estudante escutar com nitidez a voz do professor, sem precisar estar sentado nas primeiras cadeiras da classe. Esse recurso tecnológico tem como objetivo melhorar a comunicação entre deficientes auditivos, professores, colegas e familiares.

 

 

“Com o uso deste dispositivo a criança passa a ouvir melhor em sala de aula. Não que ela deixe de escutar o ruído ambiente, mas a voz do professor se sobressai em relação ao ruído de fundo, eliminando os efeitos negativos da distância e do ruído”, explica a fonoaudióloga Ana Valéria Vaucher.

 

 

Múltiplas funções – O kit completo – transmissor e receptor – fica de posse do estudante. Isso porque, conforme os anos avançam, a diversidade de disciplinas se intensifica e o mesmo transmissor é compartilhado por vários professores.

 

 

O equipamento inclui ainda um cabo que pode acoplar o transmissor ao telefone celular, ao computador e a televisão. “O objetivo primeiro é o ensino-aprendizagem, mas o aparelho pode contemplar também atividades de entretenimento e lazer”, afirma a fonoaudióloga Lisiane Stumpp.

 

 

O valor de mercado do aparelho entregue de graça pelo SUS é de cerca de R$ 8 mil, sem contar o valor investido na prótese auditiva (etapa anterior a adaptação do sistema FM).

 

 

Procedimentos – O processo de aquisição teve início em junho de 2013, quando a portaria 1.274 do Governo Federal determinou que o SUS incluiria entre seus procedimentos o Sistema FM. O HUSM conseguiu licitar a compra dos 100 primeiros aparelhos em outubro do mesmo ano.

 

 

No final do ano passado, eles começaram a ser entregues aos pacientes já usuários de aparelhos auditivos, atendidos no Serviço de Reabilitação Auditiva. Foram feitos dois mutirões – em agosto e em setembro – beneficiando os primeiros 73 estudantes. Outros 10 pacientes receberam o FM até dezembro, totalizando 83 pacientes beneficiados com o FM em 2014. De janeiro de 2015 até o momento, mais 11 pacientes já receberam o FM e, os últimos seis, serão entregues conforme a demanda.

 

 

Dos 83 pacientes que receberam o FM em 2014, 53 (64%) eram da 4ª CRS, sendo 33 (62%) só do município de Santa Maria. Em outubro do ano passado, um novo pregão foi concluído. Dessa vez no sistema chamado fluxo contínuo, ou seja, sem limitação de pacientes. Os aparelhos serão adquiridos pelo HUSM e entregues aos pacientes, conforme a demanda.

 

 

 

Como ter acesso ao serviço – Para ter direito ao benefício, o paciente ou familiar deve marcar uma consulta médica com especialistas capazes de diagnosticar a necessidade da prótese auditiva (entre eles, pediatra, otorrinolaringologista e neurologista). Esse diagnóstico será encaminhado para a coordenadoria regional de saúde que, assim que o HUSM disponibilizar as 42 vagas para novos pacientes/mês, solicita a marcação das consultas. O paciente passará por novos testes no Serviço de Reabilitação Auditiva e, comprovada a necessidade, receberá tanto a prótese quanto o Sistema FM, se estiver em idade escolar.

 

 

Os pré-requisitos para ser contemplado com o Sistema FM

 

 

– O paciente precisa possuir perda auditiva e ser usuário de aparelho auditivo ou implante coclear;
– Estar matriculado no ensino fundamental ou médio;
– Ter entre 5 e 17 anos;
– Possuir domínio da linguagem oral ou em fase de desenvolvimento;
– Apresentar índice de reconhecimento de fala maior do que 30%, na situação de silêncio ( testes realizados no Serviço de Reabilitação Auditiva)

 

 

Fonte: Ebserh com informações do HUSM