Dengue: Estado de São Paulo monta força tática para combater a dengue

Fiocruz investe em ações preventivas para a dengue
Dengue

 

Para reforçar ações de combate à dengue nos municípios paulistas, com ênfase naqueles que registram elevado número de casos, a Secretaria da Saúde está executando uma série de ações. O investimento para execução do plano chega a R$ 6 milhões.

 

 

As operações especiais são desenvolvidas por 500 novos agentes contratados pela Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), autarquia vinculada à pasta, e contam com o apoio de 30 médicos militares, mobilizados em parceria com a Secretaria da Segurança Pública.

 

 

 

Os recursos também foram aplicados para aquisição de 150 atomizadores costais para aplicação de inseticidas e de 450 kits de EPI (Equipamentos de Proteção Individual), para garantir a segurança dos funcionários, além da compra de sete vans para deslocamento das equipes e a manutenção de 50 caminhonetes utilizadas para transporte de máquinas, inseticidas e insumos.

 

 

 

Com o intuito de ampliar o alcance de informações sobre prevenção, combate e sintomas da dengue, o Governo do Estado também firmou parcerias com instituições públicas e privadas, que auxiliarão na distribuição de mais de 15 milhões de materiais informativos, em diversos formatos. A operadora de telefonia móvel Claro vai disparar 10 milhões de torpedos com alertas sobre a dengue.

 

 

 

Orientações serão transmitidas nos altos falantes e na TV Minuto, no Metrô. O assunto também ganhará visibilidade em rotas estratégicas do Estado, como a rodovia Nova Tamoios, Rodoanel Norte e as Travessias Litorâneas de SP, por meio de peças e mensagens eletrônicas divulgadas pela Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) e pela Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo).

 

 

 

Além disso, cinco milhões de newsletters e dois milhões de folders serão fornecidos para redistribuição por todas as empresas e instituições que colaboram com a iniciativa: Ambev, Artesp, Associação Paulista dos Supermercados (APAS), AutoBAn, Claro, Conselho Regional de Farmácia (CRF-SP), CPTM, Dersa, Embratel, EMTU, Fecomercio, Metra ABC, Metrô, OAB-SP e Sebrae-SP.

 

 
Veja as dicas para combater o mosquito

 

 

 

Pelo menos 80% dos criadouros estão dentro das casas, como pratos de vasos, garrafas e recipientes que acumulam água

 

 

 

Transmitida pela picada da fêmea do Aedes aegypti, a dengue precisa ser combatida eliminando os possíveis criadouros do mosquito. Pelo menos 80% deles estão dentro das casas, como pratos de vasos, garrafas e recipientes que acumulam água. Na luta contra a doença, a primeira batalha deve ser vencida dentro de casa.

 

Saiba como:

 

  • Encha os pratos dos vasos de plantas com areia até a borda.
  • Troque a água e lave o vaso das plantas aquáticas com escova, água e sabão pelo menos uma vez por semana.
  • Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre fechada.
  • Caixas d’água também devem permanecer fechadas e todos os objetos que acumulam água, como embalagens usadas, devem ser jogados no lixo.
  • Folhas e tudo o que possa impedir a água de correr pelas calhas também precisam ser removidos
  • Garrafas e recipientes que acumulam água devem ser sempre virados para baixo.

 

 

Sintomas

 

 

Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39ºC a 40°C) de início abrupto, que geralmente dura de dois a sete dias, acompanhada de dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, prostração, dor retro-orbital (olhos) e erupções na pele. Falta de apetite, náuseas e vômitos também são comuns. Nessa fase inicial da doença, pode ser difícil diferenciá-la de outras doenças febris.

 

 

 

O tratamento deve ser principalmente a hidratação adequada. Devem ser levados em consideração os sinais e os sintomas apresentados pelo paciente para decidir condutas, bem como o reconhecimento precoce dos sinais de alarme, como dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sangramento de mucosa ou outra hemorragia. Ao notar os sintomas, procure imediatamente o posto de saúde ou o hospital.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes do Portal do Governo do Estado