São Paulo Fashion Week 2017: Ítalo Calvino e ‘Commedia dell’Arte’ dão vida à SPFW

São Paulo Fashion Week

 

 

 

A São Paulo Fashion Week, o maior evento de moda do Brasil, terminou nesta sexta-feira, dia 17, após cinco dias de muitas novidades e tendências. E para duas grandes marcas nacionais, temas italianos foram a inspiração para suas coleções de outono/inverno 2017.

 

 

 
A primeira é a Lolitta, que apresentou seu desfile na terça-feira (14) e que trouxe para as passarelas toda a fantasia da famosa “Commedia dell’Arte” italiana. No verdadeiro show que a marca apresentou, o personagem Arlequim passava saltitante entre as modelos. Os looks contavam com mangas bufantes e infladas, estampas de losangos desestruturados, listras e muito xadrez, com cores mais frias como preto, branco, bege, cinza e um vermelho meio apagado, e cortes que lembram um pouco os usados na década de 1960.

 

 

 
Já na quarta-feira (15) foi a vez da Apartamento 03 trazer às passarelas um pouco da Itália. No entanto, desta vez, a inspiração surgiu de um famoso livro da literatura italiana: “O Visconde Partido ao Meio”, de Ítalo Calvino.

 

 

 

 

 

Da obra, o estilista da marca, Luiz Claudio, tirou a dualidade, apresentada pela metade boa e a má do visconde, que por onde passa divide as coisas em dois, e o mistério que esse homem envolve. Assim, a dualidade é percebida com o uso das cores (azul com preto ou bege com branco, por exemplo), com a quebra dos estilos das peças no mesmo look (com jaquetas mais estruturadas junto a saias com bordados e fendas) e com a mistura de técnicas de confecção e de materiais chiques com mais simples (como a mistura poliéster e transparências de seda). A fantasia também aparece nas borboletas, mariposas e até cogumelos estampados em algumas peças e bordados em vestidos de transparência total, tudo bem pensado e super chique.

 

 

 

 

Além das duas marcas, a 43ª edição da SPFW também contou, por exemplo, com a moda simples e descomplicada da João Pimenta; a homenagem a Elis Regina, à década de 1980 e ao feminismo de Amir Slama; a rebeldia e a ode à liberdade e à censura de vestir, ser e fazer o quiser da À La Garçonne; o pedido à moda confortável e sustentável da Cotton Project; a inspiração no filme “Soundtrack” de Selton Mello e Seu Jorge da Osklen; e o amor à heroína Mulher-Maravilha da 2nd Floor.

 

 

 

 
Da Redação com informações proveniente da ANSA