Reforma Política: Deputados rejeitam sistema eleitoral do “distritão”

Camâra Federal - Foto: Luis Macedo
Camâra Federal – Foto: Luis Macedo

 

 

 

No distritão, os deputados e vereadores seriam eleitos apenas de acordo com a quantidade de votos recebidos. Sistema atual, mantido até o momento, leva em conta os votos recebidos individualmente pelos candidatos e os recebidos pelo partido.

 
O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, por 267 votos a 210 e 5 abstenções, o sistema eleitoral distrital proposto pelo relator da PEC da reforma política (182/07), deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

 

 

 

Nesse modelo, conhecido como “distritão”, os deputados e vereadores seriam eleitos apenas de acordo com a quantidade de votos recebidos. Assim, apenas os candidatos mais votados em cada estado seriam eleitos. Todo o estado seria uma única circunscrição eleitoral.

 

 

 
Até o momento, a Câmara manteve o modelo atual, com o sistema proporcional, que leva em conta os votos recebidos individualmente pelos candidatos de um partido e os recebidos pela legenda. Esses votos são usados para um cálculo de quantas vagas cada partido conseguirá preencher.

 

 

 

Distritão misto

 

 

Está em análise, no momento, emenda do Pros que propõe o “distritão misto”, que prevê a eleição de metade da bancada de um estado pelo sistema majoritário e metade pelo sistema proporcional.

 

 

 

Entretanto, a emenda não especifica os detalhes, como o fato de os votos de um candidato mais votado em um estado serem ou não contados no sistema proporcional. Essa sistemática seria aplicada ainda aos vereadores.

 

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da “Agência Câmara Notícias”