Política: Senador do PSDB acusa Dilma de usar pacote para tentar afastar governo da corrupção na Petrobras

Senador Ataídes Oliveira
Senador Ataídes Oliveira

 

Falando pela liderança do PSDB, o senador Ataídes Oliveira (TO) afirmou nesta quinta-feira (19) em Plenário que a intenção do “pacote de medidas requentadas” anunciado pela presidente Dilma Rousseff na quarta-feira (18) não visa combater “o mar de corrupção nas gestões do PT”. O objetivo, na avaliação do parlamentar, é tentar “afastar o Palácio do Planalto da sucessão de escândalos que deixou o Brasil estarrecido”. Para Ataídes, no entanto, isso é impossível. Segundo ele, “as digitais da presidente Dilma estão marcadas no petrolão”.

 

 

– Centralizadora como é a presidente, não dá para acreditar que a nomeação dos ladrões que roubaram a empresa não tenha sido pelo menos autorizada por ela. Se tipos como Paulo Roberto Costa, Renato Duque, Nestor Cerveró e Pedro Barusco foram parar nos mais altos cargos da Petrobras, isso só aconteceu porque a presidente Dilma concordou com a indicação deles – acrescentou.

 

 

 

O parlamentar observou que, antes de ser presidente da República, Dilma Rousseff já era “a manda-chuva do setor de energia e petróleo no Brasil”. De acordo com ele, “nada acontecia no setor sem o aval dela, que foi ministra de Minas e Energia, ministra-chefe da Casa Civil por vários anos e presidente do Conselho de Administração da estatal”.

 

 

 

Por ter ocupado todos esses cargos, acrescentou, a presidente Dilma sempre teve o poder de vetar as indicações políticas, “mas nunca vetou”.

 

 

 

– Ela concordou com a nomeação dos ladrões, conduziu a Petrobras ao lado deles e, agora, quer se afastar, fingindo combater a corrupção – disse.

 

 
Da Redação com informações da Agência Senado