Política: Impeachment de Dilma Rousseff não está pautado do ponto de vista jurídico, avalia ministro

Pacote anticorrupção de Dilma
Dilma Rousseff

 

 

O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva, disse, nesta segunda-feira (27), que a tese que está sendo levantada, por uma parte das lideranças da oposição, de que há elementos para ser apresentado um impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff não tem embasamento jurídico.

 

“O governo sempre vai lidar com as posições dos partidos de oposição de forma muito tranquila, não vai ver nenhuma anormalidade nisso. A questão do impeachment é uma bandeira político-partidária, já que do ponto de vista jurídico, de materialidade jurídica, essa questão não está pautada”, disse o ministro nesta noite em entrevista a jornalistas.

 

 

 

Os partidos políticos, na opinião de Edinho, têm direito de levantarem e trabalharem suas bandeiras, posições que são respeitadas pelo governo. “Eu penso que, no campo da oposição, nós temos lideranças que, independentemente da nossa posição política, de posição A, B ou C, são lideranças que têm uma história construída no país, uma biografia a zelar, a defender e um patrimônio político também a zelar”, disse. Ele disse que, em uma democracia, é importante que se conviva com a diferença.

 

 

 

Ao responder à pergunta, o ministro disse que não se referia a um quadro específico da oposição, mas a todas as lideranças que possuem biografias respeitadas e patrimônio político eleitoral. “Cada um zela por aquilo que construiu. E a capacidade de cada um zelar por aquilo que construiu que vai dimensionar a sua postura enquanto estadista, enquanto liderança que pensa no Brasil, não só como um espaço de disputa conjuntural, mas também como um espaço de se construir histórias e biografias sólidas”, declarou.

 

 
Com informações da EBC