Política: Dieese critica MP do seguro-desemprego e revela que 2 milhões de trabalhadores perderão este direito

Para Dieese, 2 milhões de trabalhadores perderão direito a seguro-desemprego após MP
Para Dieese, 2 milhões de trabalhadores perderão direito a seguro-desemprego após MP

 

O diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Clemente Ganz Lúcio, criticou há pouco o texto da Medida Provisória (MP) 665/14, que dificulta o acesso ao seguro-desemprego.

 

 

Segundo o dirigente, que participa neste momento de audiência pública da comissão especial que analisa a MP, cerca de 2 milhões de trabalhadores serão impactados diretamente pelas mudanças e perderão o benefício.

 

 

 

De acordo com Ganz, a MP entra em vigor logo no período em que o desemprego está aumentando e, consequentemente, vai atingir os mais frágeis. “O contingente que vai procurar o seguro-desemprego é maior e, obviamente, pelo colocado no projeto, não terão acesso ao benefício”, explicou.

 

 

Mudanças

 

 

Desde março, as novas regras para o seguro desemprego já estão valendo. Antes, o trabalhador recebia o seguro comprovando apenas seis meses de trabalho com carteira assinada. Agora, serão necessários 18 meses apurados nos últimos 24 meses. Na segunda solicitação, a carência será de 12 meses e somente a partir da terceira é que a carência volta para seis meses.

 

 

 

Com relação ao número de parcelas do benefício, pela MP, na primeira solicitação, o trabalhador poderá receber quatro parcelas do seguro-desemprego se tiver trabalhado entre 18 e 23 meses e cinco parcelas se tiver trabalhado a partir de 24 meses.

 

 
Da Redação com informações da Agência Câmara Notícias