Política: “Ajuste fiscal não pode agravar a recessão”, diz presidente do Senado.

Presidente do Senado, Renan Calheiros
Presidente do Senado, Renan Calheiros

 

 

Ao chegar ao Congresso nesta terça-feira (26), o presidente do Senado, Renan Calheiros, confirmou que as medidas provisórias do ajuste fiscal serão votadas ainda esta semana, mas disse que os cortes propostos estão “no caminho errado”, contribuindo para agravar a recessão.

 

 

— Vamos tentar votar hoje e amanhã, mas nunca é demais lembrar que o ajuste parece estar na contramão, no caminho errado. Precisamos dar qualidade ao ajuste, fazê-lo na medida certa. O que estamos vendo é o aprofundamento da recessão, do desemprego, da diminuição da massa salarial. A economia está esmorecendo e o ajuste não pode agravar esse cenário — avaliou.

 

 

 

 

Conforme afirmou, há consenso quanto à necessidade do ajuste, mas um grande dissenso sobre qual ajuste o Brasil deve fazer. Renan considera inevitável o corte de gastos pelo governo federal, mas considera como medida de maior eficácia a extinção de ministérios e de cargos em comissão.

 

 

 

 

 

 

— Essa é a próxima e inevitável etapa pela qual o governo vai ter que passar. O ideal, que pegaria muito bem para o país, seria que o governo tomasse a iniciativa em relação a corte de ministérios e de cargos em comissão. Você cortar no orçamento mantendo 39 ministérios é uma coisa que não parece consequência de um processo lógico.

 

 

 

Reforma política

 

 

 

Questionado por jornalistas sobre o andamento das votações da reforma política no Senado, Renan disse que a Casa deverá aguardar a finalização das votações na Câmara dos Deputados.

 

 

 

— A prudência recomenda que nós aguardemos a reforma política que virá da Câmara dos Deputados. Nós já votamos este ano o fim da coligação proporcional e a prudência recomenda que aguardemos agora tudo o que a Câmara votar, para que a gente possa então fazer as votações aqui no Senado Federal.

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da Agência Senado