Petrolão: Diretor da Petrobras diz ter sido surpreendido com irregularidades e irrita deputados da CPI

Hugo Repsold Júnior
Hugo Repsold Júnior

 

O diretor de Gás e Energia da Petrobras, Hugo Repsold Júnior, irritou deputados da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras ao dizer ter sido surpreendido com denúncias de irregularidades na estatal e notícias de pagamento de propinas a diretores e funcionários por parte de empresas contratadas.

 

 

“Eu nunca tive notícias de irregularidades e fui surpreendido”, disse. “Vossa excelência está achando que tem algum palhaço aqui?”, perguntou o deputado André Moura (PSC-SE), um dos sub-relatores da CPI.

 

 

Ao responder pergunta do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), também sub-relator da comissão, Repsold Júnior admitiu que conhecia uma das empresas acusadas de pagamento de propinas, a holandesa SBM. “Essa empresa era contratada pela diretoria da qual o senhor fazia parte e nunca soube de propinas?”, perguntou o deputado. “Não. Fui surpreendido”, disse.

 

 

Segundo depoimento do ex-gerente de Serviços da Petrobras Pedro Barusco, a SBM passou a pagar propina de forma sistemática a partir do segundo contrato de aluguel de navios-plataforma com a Petrobras a partir de 2000.

 

 

 

Em 2007, foi firmado outro contrato entre a SBM e a Petrobras, dessa vez para o fornecimento de um navio-plataforma chamado P57, um contrato de R$ 1,25 bilhão. Barusco era então gerente executivo de Engenharia e recebeu 1% do total entre 2007 e 2010. Ele disse que recebeu, só pelos contratos entre a Petrobras e a SBM, US$ 22 milhões entre 1997 e 2010.

 

 

 

Da Redação com informações da Agência Câmara Notícias