Petrolão: A não convocação de Fernando Soares supostamente operador do PMDB causa tumulto na CPI da Petrobras

Fernando Baiano
Fernando Baiano

 

A não convocação do empresário Fernando Soares pela CPI da Petrobras causou discussão entre deputados do PT e do PMDB na CPI da Petrobras. O deputado Jorge Solla (PT-BA) questionou, durante o depoimento da ex-presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, o fato de o requerimento de convocação de Soares não ter sido votado.

 

 

“Como é que essa comissão pode continuar sem convocar Fernando Soares?”, perguntou Solla. Ele citou matérias publicadas na imprensa que atribuíam a não convocação à obstrução de deputados da própria CPI.

 

 

O Ministério Público Federal acusa Soares de ser operador do PMDB no esquema de corrupção investigado pela Polícia Federal na Operação Lava Jato. Até agora, o único operador financeiro convocado pela CPI foi João Vaccari Neto, tesoureiro do PT.

 

 

O deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES) rebateu Solla. “Isso é uma leviandade. Por acaso a convocação de Soares consta do plano de trabalho apresentado pelo relator da CPI?”, perguntou.

 

 

O relator, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), explicou que o plano de trabalho não prevê a convocação de Soares porque era impossível reproduzir todos os mais de 300 requerimentos apresentados à CPI no documento. “Eu já expliquei que não estou aqui para perseguir e nem para proteger ninguém”, disse.

 
Da Redação como fonte de informação da Agência Câmara Notícias