Nacional: Simulador de impacto de acidente é instalado em ação no Corredor Dom Pedro

Equipamento simula o impacto de uma batida a 5 km/h. Objetivo é conscientizar motoristas
Equipamento simula o impacto de uma batida a 5 km/h. Objetivo é conscientizar motoristas

 

O simulador de impacto de acidente utilizado na campanha de conscientização para o uso do cinto de segurança desenvolvida pela Artesp (Agência de Transportes de São Paulo) poderá ser usado por quem for até o Parque Dom Pedro Shopping, em Campinas, a partir da próxima segunda-feira, 23 de março.

 

 

O equipamento, que simula o impacto de uma batida a 5 km/h, será instalado no centro comercial, localizado no km 137, pista marginal sul, da rodovia D. Pedro I (SP-065). O equipamento estará disponível ao público até a próxima sexta-feira (27), sempre das 10h às 17h, no estacionamento do Shopping, próximo à entrada das Flores. A ação é uma parceria entre a Artesp, a administração do empreendimento e a Concessionária Rota das Bandeiras.

 

 

Através de SMS, a Artesp irá convidar as pessoas que estiverem em um raio de até 10 quilômetros do local do equipamento a participar da campanha. Elas receberão em seu celular uma mensagem informando o local e horário de funcionamento do simulador.

 

 

 

A ideia é que, apesar da pouca velocidade, quando os usuários utilizem o simulador percebam a importância do uso do cinto de segurança. Ao passar pela experiência do simulador, a pessoa tem a noção da força causada pelo impacto de uma batida à baixa velocidade, ampliando a sua sensibilidade sobre a importância do uso do cinto de segurança.

 

 

 

De acordo com o gestor de Tráfego da Rota das Bandeiras, José Carlos Guimarães, a instalação do simulador de impacto na rodovia D. Pedro I é uma medida importante e vai agregar valor às ações que já são desenvolvidas pela Concessionária. Entre elas, a instalação de faixas nas rodovias do Corredor Dom Pedro, a distribuição de folhetos sobre o tema nas praças de pedágio e a implantação de mensagens nos painéis de mensagens variáveis (PMVs). “A ação vai contribuir para a conscientização dos nossos usuários”, destaca Guimarães.

 

 

A Campanha

 

 

 

A campanha para incentivar o uso do cinto foi idealizada a partir de pesquisa realizada pela ARTESP, que mostrou o alto índice de passageiros do banco traseiro que não utilizam o equipamento. Na primeira fase da pesquisa, realizada entre 1 e 7 de dezembro de 2104, foi aferido que 53% dos usuários do banco de trás não utilizam o cinto. Na segunda etapa, aplicada um mês após o início da campanha (entre 30 de janeiro e 5 de fevereiro), verificou-se que esse índice caiu para 48%. Na região de Campinas o índice de não utilização do cinto não seguiu a tendência do estado, e teve variação de 1% para cima: passou de 52% na primeira fase para 53% na segunda.

 

 

 

Dados sobre a quantidade de vítimas de acidentes nas rodovias sob concessão que não usavam cinto de segurança apontam para a necessidade constante de campanhas. De 2012 até outubro de 2014, 69,4% dos passageiros que estavam nos bancos traseiros e que morreram em acidentes nas rodovias não haviam conectado o cinto. As vítimas fatais no banco da frente de passageiro sem cinto chegam a 38,4% e 50,1% dos motoristas.

 

 

 

A Rota das Bandeiras é uma empresa da Odebrecht TransPort, investidora e operadora no Brasil em negócios relacionados à mobilidade urbana, rodovias, sistemas integrados de logística e aeroportos.

 

 

 
Da Redação com informações da EBC