Nacional: Professores em greve fazem manifestação na Paulista.

Manifestação na Paulista dos ptofessores estaduais em greve - Foto: Mídia Ninja
Manifestação na Paulista dos ptofessores estaduais em greve – Foto: Mídia Ninja

 

Terminou por volta das 18h30 de hoje (27) a caminhada d Os professores da rede estadual de São Paulo fizeram caminhada hoje (27), no centro da capital paulista, depois de decidirem, em assembleia, manter a greve iniciada no último dia 13. Eles reivindicam, principalmente, reajuste salarial de 75,33%, enquanto o governo diz que já deu 45% de aumento acumulado para a categoria nos últimos quatro anos.

 

 

Ao final do ato, no início da noite, na Praça da República, em frente à Secretaria Estadual de Educação, a Polícia Militar (PM) contabilizou a presença de 10 mil professores e estudantes na caminhada. Já o Sindicato dos Professores no Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) estimou a presença de 50 mil pessoas. Foi a terceira assembleia dos professores nesses 15 dias de paralisação, e a que mais reuniu manifestantes.

 

 

 

A caminhada foi pacífica. O único incidente foi logo no começo do ato, na saída do vão-livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), quando alguns manifestantes tentaram forçar a passagem, enquanto a PM tentava segurar o andamento dos professores. Mas o tumulto durou pouco tempo.

 

 

 

Na Praça da República, alguns professores sentaram no chão para escrever, com giz colorido, mensagens ao governo paulista, pedindo reajuste salarial e melhores condições nas salas de aula.

 

 

 
Por meio de nota à imprensa, a Secretaria de Educação informou que a decisão do sindicato, de manter a greve, “é extemporânea e ofensiva aos pais e alunos paulistas, uma vez que a categoria recebeu o último aumento salarial há sete meses, em agosto de 2014, o que consolidou um reajuste de 45%”.

 

 

 

“É injustificável, portanto, uma paralisação sem qualquer tentativa prévia de negociação com a pasta”, diz o comunicado. A Apeoesp informou, no entanto, que a primeira rodada de negociação está agendada para segunda-feira (30).

 

 

 

A Apeoesp diz que 140 mil professores já aderiram à greve nas escolas, enquanto a secretaria diz que o comparecimento de professores às aulas “ficou em 92% ao longo da semana”.

 

 

“O registro mostra uma oscilação em relação à média diária de ausências, que têm sido supridas pelo grupo de 35 mil professores substitutos. Estes profissionais, abastecidos com os planos de aula e com materiais didáticos, são acionados de maneira rotineira para levar o conteúdo à sala de aula”, diz a secretaria.

 

 

Da Redação com informações da EBC