Nacional: Deputados criticam destinação de verba do BNDES reservado para reconstrução de municípios afetados por desastres naturais para vítimas de incêndio em shopping

Incêndio do shopping Nova América, no Rio de Janeiro
Incêndio do shopping Nova América, no Rio de Janeiro

 

Vários deputados criticaram o ponto da Medida Provisória 661/14 que autoriza o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a repassar R$ 50 milhões para as vítimas de incêndio ocorrido no shopping Nova América, no Rio de Janeiro. A polêmica está no fato de o dinheiro ser reservado a um fundo destinado à reconstrução de municípios afetados por desastres naturais.

 

 

A discussão é regimental. O artigo não pode ser retirado porque o prazo para a apresentação de destaques se esgotou e, portanto, o ponto foi aprovado junto com os outros artigos do parecer da MP. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, conseguiu o acordo de todos os deputados para reabrir o prazo dos destaques, mas alertou o Plenário que os partidos têm representação na comissão mista que analisou a MP e poderiam se antecipar às polêmicas.

 

 

O deputado Silvio Costa (PSC-PE) foi o primeiro a questionar a manutenção desse ponto na MP. Segundo ele, trata-se de matéria estranha e deveria ser retirada do texto. “Incêndio não é desastre natural”, questionou. Os deputados Esperidião Amin (PP-SC) e Rodrigo Maia (DEM-RJ), entre outros, também criticaram a medida.

 

 

 

O deputado Daniel Coelho (PSDB-PE) criticou a medida por considerar que o Plenário estaria votando um benefício para uma empresa privada. Já o deputado Glauber Braga (PSB-RJ) lembrou que o valor destinado pela MP ao shopping é menor do que o destinado a escolas atingidas por desastres no estado do Rio de Janeiro.

 

 

 

O deputado Newton Cardoso Jr (PMDB-MG) não se opôs à retirada, mas ressaltou que o artigo apenas autoriza a concessão dos R$ 50 milhões, sem condicioná-lo.

 

 
Da Redação com informações da Agência Câmara Notícias