Meio Ambiente: Projeto de fabricação de sabão ecológico com óleo de cozinha reciclado gera emprego e renda no RN

Sabão ecológico com óleo de cozinha reciclado
Sabão ecológico com óleo de cozinha reciclado

 

A iniciativa, apoiada pela Petrobras, beneficia cerca de 90 mulheres que fabricam e vendem o produto

 

 

A reciclagem do óleo de cozinha e sua transformação em sabão ecológico está gerando emprego e renda para 90 mulheres de seis comunidades carentes de Natal, no Rio Grande do Norte, graças ao projeto Sabão Ecológico das Comunidades, apoiado pela Petrobras desde 2013. Além disso, o projeto que integra o Programa Petrobras Socioambiental contribui para a melhoria da qualidade de vida em sua área de abrangência, já que o descarte do óleo no meio ambiente prejudica solos, lençóis freáticos e estações de tratamento de esgoto.

 

 

O projeto Sabão Ecológico das Comunidades, implementado pela organização não governamental Centro de Promoção à Assistência Social (Cepas), inclui a coleta do óleo em restaurantes, lanchonetes e bufês parceiros; a purificação em uma miniusina construída com recursos do projeto; a distribuição do óleo purificado a seis pontos de fabricação de sabão, um em cada município; a fabricação das barras de sabão; o corte; a embalagem e a distribuição do produto. Seis municípios são beneficiados pelo projeto, Curtume, Alto da Torre, Garis, Jardim Progresso, Pajuçara e Nordeste.

 

 

Segundo Cláudia Regina Maciel, uma das coordenadoras do projeto, a produção gerada é de cerca de 2.800 pacotes de sabão por mês, com cinco barras cada um, sendo o preço de venda mínimo estabelecido em R$ 4, dos quais R$ 3 cabem a cada fabricante e vendedora. O restante é revertido para a compra de material, de modo que o projeto se torne autossustentável. O dinheiro obtido complementa a renda das fabricantes e vendedoras de sabão, havendo um controle sobre a produção e a venda de cada uma, para que a divisão dos recursos obtidos seja justa. O produto tem sido bem aceito no mercado.

 

 

“As fabricantes e vendedoras de sabão foram escolhidas entre as mais carentes indicadas pelos líderes de cada uma das seis comunidades. Em geral, são faxineiras, catadoras de material reciclado ou mulheres que apenas viviam com recursos do Bolsa Família e têm empregabilidade muito baixa devido à pouca escolaridade e ao fato de morarem em comunidades onde a pobreza é extrema. O projeto mudou a vida delas. Hoje, essas mulheres têm renda que pode chegar a cerca de R$ 3.500, dependendo das vendas, ajudam em casa com a compra de mantimentos no dia-a-dia, sentem-se muito mais produtivas e inseridas na sociedade e têm maior autonomia e autoestima”, conclui a coordenadora do projeto.

 

 

Programa Petrobras Socioambiental

 

 

O Programa Petrobras Socioambiental: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos, do qual o projeto Sabão Ecológico das Comunidades faz parte, incentiva práticas voltadas para um ambiente ecologicamente equilibrado e socialmente equitativo, por meio do investimento em projetos com foco nas linhas de atuação: Produção Inclusiva e Sustentável, Biodiversidade e Sociodiversidade, Direitos da Criança e do Adolescente, Florestas e Clima, Educação, Água e Esporte.

 

 

Da Redação como fonte de informação da Agência Petrobras