Lava Jato: MPF anexa a ação registros de encontros de Lula com diretores da Petrobras

MPF anexa a ação registros de encontros de Lula com diretores da Petrobras – (Antonio Cruz/Agência Brasil)

 

A força-tarefa da Operação Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF) apresentou 74 documentos para serem incluídos no processo que investiga suposta relação entre o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e um apartamento tríplex da OAS Empreendimentos.

 

 

 

 

Dentre os documentos apresentados pelo MPF, estão registros de reuniões entre o ex-presidente e diretores da Petrobras, além de manuscritos, panfletos de apartamentos e cartas-resposta de empresas a questionamentos dos procuradores.

 

 

 

 

 

O material anexado traz fotos do ex-presidente no sítio em Atibaia, interior de São Paulo, ao lado do ex-presidente da construtora OAS, Léo Pinheiro e do ex-engenheiro da construtora, Paulo Gordilho. De acordo com a força-tarefa, a construtora fez reformas no sítio a pedido de Lula e da ex-primeira-dama Marisa Letícia, que seriam os donos da propriedade. Para o MPF, as imagens provam a relação de proximidade entre Léo Pinheiro, Lula e Gordilho, apontado como o responsável pela reforma.

 

 

 

 

Outro documento anexado trata de uma troca de mensagem entre Gordilho e a filha. “Sigilo absoluto hem. Amanhã vou em um churrasco em Atibaia com Léo é na fazenda de Lula e vamos encontrar com ele na estrada e vou passar o dia lá com ele e D. Mariza. Rsrsrss”, escreveu o engenheiro.

 

 

 

 

Em depoimento ao juiz Sérgio Moro no último dia 10, em Curitiba, Lula disse que não participava do cotidiano da estatal e o único diretor procurado por ele foi Renato Duque, por ter sido indicado pelo PT. Lula também negou ter orientado Léo Pinheiro a destruir eventuais provas do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato.

 

 

 

 

O juiz federal Sergio Moro havia concedido às partes cinco dias a partir do interrogatório de Lula para a juntada de novos documentos à ação.

 

 

 

 

Defesa

 

 

 

 

Os advogados de Lula emitiram uma nota afirmando que os anexos “não provam nada” contra o ex-presidente. A defesa diz, ainda, que “os papeis apresentados ontem pelo MPF somente servem para provar que seus membros têm acesso irrestrito a documentos da Petrobras, ao contrário da defesa do ex-presidente”.

 

 

 

 

Sobre as fotos, a defesa diz que criam situação que “privilegia o espetáculo midiático para prejudicar a defesa do ex-presidente e a presunção de inocência que lhe é assegurada pela Constituição Federal”.

 

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Agência Brasil